Desporto

PSG-Basaksehir. Webó fala pela primeira vez sobre incidente de racismo

Para o treinador-adjunto vai passar a haver “um ‘antes e depois’ de 8 de dezembro”.

O treinador-adjunto do Basaksehir, Pierre Webó, falou pela primeira vez em público sobre o caso de alegado racismo que marcou o jogo contra o PSG, na passada terça-feira. Ao chegar à Turquia, Webó afirmou que a interrupção do jogo e a saída das equipas do relvado é um marco mundial na luta contra o racismo.

“O que o árbitro disse foi aquilo que toda a gente viu e ouviu na televisão”, disse o treinador-adjunto acrescentando que “a partir de agora, há um ‘antes e depois’ de 8 de dezembro.

Webó considera que o quarto árbitro “passou dos limites no que diz respeito aos valores”, principalmente tendo uma licença profissional da UEFA e estando a exercer o papel de árbitro numa competição europeia. O treinador-adjunto do Basaksehir agradeceu também o apoio demonstrado pelo presidente da equipa e pelo Presidente da Turquia.

Não é a primeira vez que Pierre Webó está no centro de uma polémica relacionada com racismo, no entanto o incidente que levou à interrupção do jogo para a sexta jornada da Champions ganhou uma dimensão maior. As duas equipas acabaram por abandonar o relvado em protesto contra as alegada declarações racistas. O jogo foi retomado na quarta-feira, tendo contado com um momento de protesto contra o racismo.