Desporto

Liga Europa. Benfica com boas memórias do Arsenal, Braga estreia-se frente à Roma

Thilo Schmuelgen

As "águias" brilharam nos únicos dois embates frente aos londrinos.

O Benfica vai reencontrar os ingleses do Arsenal nos 16 avos de final da Liga Europa de futebol, enquanto o Sporting de Braga terá um confronto inédito com os italianos da Roma, treinados pelo português Paulo Fonseca.

Os lisboetas brilharam nos únicos dois embates frente aos londrinos, ambos na temporada 1991/92, sob o comando do sueco Sven-Goran Eriksson, relativos à segunda e última eliminatória de acesso à fase de grupos da edição experimental da Liga dos Campeões.

Depois do empate a uma bola na Luz, o Benfica brilhou no extinto Highbury, em 6 de novembro de 1991, ao vencer por 3-1, após prolongamento, invertendo o golo inaugural de Colin Pates com dois tentos do avançado brasileiro Isaías e outro do russo Kulkov.

Os 'encarnados' alcançaram nessa noite um dos cinco apuramentos frente às equipas inglesas nas taças europeias, em oposição a sete eliminações e duas finais perdidas, com Manchester United e Chelsea, num total de 11 triunfos, seis empates e 19 derrotas.

Presença regular nos encontros decisivos da Taça dos Clubes Campeões Europeus nos anos 60 do século passado, a geração de Eusébio foi incapaz de superar os 'red devils' em 29 de maio de 1968, no estádio de Wembley, em Londres, ao perder por 4-1, após prolongamento.

Volvidos quase 45 anos, em 15 de maio de 2013, os 'blues' impuseram-se às 'águias', orientadas por Jorge Jesus, no tempo de compensação da final da Liga Europa (2-1), falhando em Amesterdão a oportunidade de conquistar o seu terceiro troféu continental.

O Benfica, finalista vencido da segunda prova europeia de clubes em 1982/83, 2012/13 e 2013/14, recebe o Arsenal, vice-campeão em 1999/2000 e 2018/19, em 18 de fevereiro de 2021, no Estádio da Luz, em Lisboa, uma semana antes de visitar o Estádio Emirates.

Os 16 avos de final da Liga Europa assinalam ainda o regresso de Paulo Fonseca a Braga, onde trabalhou em 2015/16, antes de evoluir no futebol estrangeiro, num embate inédito frente à Roma, oponente nunca defrontado pelos minhotos, em sete jogos com equipas transalpinas.

Das três vitórias, dois empates e duas derrotas sobressaem os apuramentos frente a Chievo Verona (2-0 em Braga e 1-2, após prolongamento, em Itália) e Parma (1-0 em cada mão), na primeira ronda e nos 16 avos da edição 2006/07 da denominada Taça UEFA.

Duas épocas depois, na fase de grupos da mesma prova, o Sporting de Braga 'caiu' no tempo de compensação frente ao AC Milan (1-0), com um pontapé de longe do brasileiro Ronaldinho, antes de somar nova qualificação europeia diante de clubes transalpinos.

Em agosto de 2012, os 'arsenalistas', então comandados por José Peseiro, desempataram o 'play-off' de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões nas grandes penalidades (5-4), na sequência de dois empates a uma bola com a Udinese.

Nos restantes desafios da primeira ronda de eliminatórias da Liga Europa, os ingleses do Tottenham, de José Mourinho e Gedson, vão encarar os austríacos do Wolfsberger e o Shakhtar Donetsk, treinado por Luís Castro, joga com os israelitas do Maccabi Telavive.

O campeão da Ucrânia é uma das oito equipas oriundas da fase principal da Liga dos Campeões, na condição de terceiro colocado do respetivo grupo, a par dos ingleses do Manchester United, de Bruno Fernandes, que defronta os espanhóis da Real Sociedad.

Os gregos do Olympiacos, orientados por Pedro Martins e com José Sá, Rúben Semedo, Rúben Vinagre, Tiago Silva, Pêpê Rodrigues e Bruma no plantel, ficaram atrás do campeão português FC Porto e vão medir forças com os holandeses do PSV Eindhoven.