Desporto

Benfica investigado por suspeitas de controlar clubes através do empréstimo de jogadores

Com o objetivo de obter vantagem desportiva.

O Benfica está a ser investigado por suspeita de controlar clubes de menor expressão através de empréstimo de jogadores.

O Departamento Central de Investigação e Ação Penal e a Polícia Judiciária estão a investigar o envolvimento do Benfica no controlo de clubes como o Santa Clara ou o Desportivo das Aves, entre outros clubes.

Transferências a custo zero para obter vantagem desportiva

Na notícia avançada pelo Observador, o Benfica é suspeito de promover transferências a custo zero e de emprestar jogadores de forma a garantir vantagens desportivas. De acordo com o jornal, já terão sido recolhidos indícios da prática de corrupção desportiva, crimes de fraude fiscal, branqueamento de capitais e participação económica em negócio.

No centro desta suspeita, que está a ser investigada num inquérito que reúne os casos Mala Ciao, e-mails e vouchers, todos envolvendo o Benfica, o DCIAP e a PJ suspeitam que o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, está no centro deste alegado esquema de dependência económico-desportiva de clubes com orçamentos mais reduzidos.

O alegado envolvimento de Luís Filipe Vieira

A publicação online adianta ainda que a investigação passa pela intermediação de José Luís Gonçalves Moça, que foi diretor desportivo de clubes como o Aves ou o Académico de Viseu, na transferência de quatro jogadores, que passaram pelo Benfica, para o Santa Clara.

Segundo o Observador, a PJ recolheu escutas nas quais José Luís Gonçalves Moça - confesso adepto do Benfica - e Luís Filipe Vieira terão falado sobre os reforços para o clube açoriano.

Isto numa altura em que o Moça não tinha qualquer relação com o Santa Clara ou com o Benfica e também não era agente de jogadores.

O DCIAP e a PJ estão igualmente a investigar o pagamento de comissões a Paulo Gonçalves, ex-diretor jurídico do Benfica, pela participação como intermediário na transferência do jogador Jhonder Cádiz do Vitória de Setúbal para o Benfica na época 2019/20.

Paulo Gonçalves é suspeito de ter recebido uma comissão superior ao valor recebido pelo Setúbal pela transferência.

O alegado aliciamento do empresário César Boaventura a jogadores do Marítimo e do Rio Ave, situação exposta pela SIC em 2017 e 2018, está também a ser investigada neste processo.

A contratação de Marcelo Hermes pelo Benfica ao Grémio também se enquadra nesta investigação. Isto porque, adianta o Observador, o Benfica terá pago 2,9 milhões de euros pelo lateral que estava a um mês do fim do contrato e que estava avaliado em 500 mil euros.

O Benfica já reagiu. Em comunicado, o clube da Luz considera tratar-se de "matérias inverídicas, imprecisas e caluniosas". O Benfica garante não ter nada a esconder e estranha a "coincidência" de o artigo ser publicado em vésperas de um clássico que considera "importantíssimo". O Benfica reafirma a disponibilidade em colaborar com as autoridades.