Desporto

Líder Cornejo abandona Dakar e deixa classificação das motas em aberto

Julien Delfosse HANDOUT via ASO

O chileno caiu durante a prova desta manhã.

O norte-americano Ricky Brabec (Honda) venceu esta quarta-feira a 10.ª etapa da 43.ª edição do rali Dakar de todo-o-terreno, num dia marcado pelo abandono do anterior líder, Ignacio Cornejo (Honda), que deixou o argentino Kevin Benavides (Honda) no comando.

O chileno caiu ao quilómetro 252 dos 342 da especial desta manhã, que ligou Neom a Al-Ula, ainda conseguiu chegar ao final da tirada, cedendo mais de 17 minutos para o vencedor, mas, após ser visto pela equipa médica da prova, decidiu abandonar devido às dores, explicou a organização, numa nota publicada no sítio oficial da prova na Internet.

Brabec cumpriu a especial em 3:12.33 horas, deixando o espanhol Joan Barreda, companheiro na equipa Honda, gerida pelo português Ruben Faria, em segundo lugar, a 3.15 minutos.

Benavides, também da Honda, foi terceiro classificado, a 5.11 minutos, e é o novo líder da classificação geral, a duas etapas do fim da prova.

O argentino tem, no entanto, apenas 51 segundos de vantagem sobre Brabec, vencedor da edição de 2020, com Sam Sunderland (KTM) em terceiro lugar, a 10.36 minutos.

Joaquim Rodrigues Jr. (Hero) voltou a ser o melhor português, terminando o dia na 10.ª posição, a 16.24 minutos, e está no 12.º lugar provisoriamente (Cornejo ainda aparece na classificação geral, apesar da indicação de abandono).

Rui Gonçalves (Sherco) teve hoje um dia mais tranquilo, depois da queda da véspera e foi 20.º, com o luso-germânico Sebastian Bühler (Hero) em 22.º lugar. Na geral, Bühler é 17.º e Rui Gonçalves 22.º.

Na quinta-feira disputa-se a 11.ª e penúltima etapa, entre Al-Ula e Yanbu, com 557 quilómetros, 511 deles cronometrados, sendo a especial mais longa da prova, incluindo quase uma centena de quilómetros de dunas.