Desporto

Covid-19. UEFA determinada a manter Euro2020 e provas europeias como planeado

Denis Balibouse

Organismo planeia manter o Euro2020 em 12 cidades de 12 países, apesar das dúvidas levantadas por muitos.

O Euro2020 de futebol, adiado para 2021 devido à covid-19, vai disputar-se como programado no próximo verão, uma vez que a UEFA não considera alterar os planos, apesar da pandemia estar a afetar outras modalidades.

"No que diz respeito ao Euro2020, nada mudou", garantiu à AFP um porta-voz da UEFA sobre o evento inicialmente previsto para o verão de 2020 e remarcado para o período entre 11 de junho e 11 de julho.

O râguebi, a Fórmula 1 e a taça do Mundo de ski, entre outros, estão a ser afetados pelo agravamento das condições sanitárias em toda a Europa, contudo, o Europeu de futebol manterá o figurino, faltando definir apenas o modelo de espetadores.

"Até 05 de março", a UEFA vai decidir "cidade por cidade" entre quatro opções, nomeadamente "100% de espetadores no estádio, 50 a 100%, 20 a 30% ou à porta fechada".

Privilegiando sempre os cuidados de saúde, o organismo planeia manter o evento em 12 cidades de 12 países, apesar das dúvidas levantadas por muitos.

Entre eles, o selecionador da Suíça, Dominique Blanc, que acha "difícil" manter o figuro, justificando com as "restrições de viagens" crescentes um pouco por todo o lado.

Liga dos Campeões e a Liga Europa também se mantêm como previsto

As competições de clubes, incluindo a Liga dos Campeões, na qual está o FC Porto, e a Liga Europa, que conta com Benfica e Sporting de Braga, também se mantêm como previsto, devendo a próxima ronda europeia de clubes decorrer entre 16 e 18 de fevereiro.

Vários agentes desportivos têm apelado à vacinação de todos os atletas: a UEFA entende que essa questão "faz parte da reflexão" sobre o protocolo médico das competições, porém, defende que "é cedo para tomar uma decisão".

O selecionador da Suíça é da opinião de que poderá ser melhor solução disputar o Euro num só país -- sugeriu Rússia e Alemanha -- ou "numa única grande cidade" com estádios suficientes, como Londres.

Não imagina uma competição com espetadores, perspetivando uma prova como a 'Final 8' da Liga dos Campeões, que juntou as equipas em agosto em Lisboa.