Desporto

Movimento 'Servir o Benfica' consegue AG extraordinária com 10 mil votos

Quality Sport Images

Para "esclarecimento cabal do processo eleitoral realizado no passado dia 28 de outubro".

O requerimento para a realização de uma Assembleia-Geral (AG) extraordinária, que o movimento 'Servir o Benfica' entregou esta terça-feira ao presidente da Mesa da Assembleia Geral do Benfica, foi aceite, depois de reunir os 10 mil votos necessários.

"O requerimento foi aceite. O presidente da Mesa da Assembleia Geral [Rui Pereira] saudou a iniciativa de discussão democrática do Sport Lisboa e Benfica. Saudou, também, a vontade em ver a proposta ser discutida após o término da época desportiva", revelou o movimento através da rede social Facebook.

Na mesma publicação, o 'Servir o Benfica' acrescentou que Rui Pereira "garantiu cumprir escrupulosamente os estatutos, nomeadamente o agendamento da reunião de Assembleia-Geral extraordinária com a ordem de trabalhos requerida, após verificação dos 10 mil votos".

Além do requerimento, entregue pelos sócios João Pinheiro, João Leite e Tiago Godinho, o movimento também avançou com uma proposta de regulamento eleitoral para discussão na reunião de AG extraordinária que foi requerida.

"Aguardamos, reforçando a vontade de que a reunião de Assembleia-Geral extraordinária se realize após o final da época desportiva da equipa de futebol profissional, num espaço que permita a participação presencial dos sócios do Sport Lisboa e Benfica, sendo uma possibilidade equacionada o Estádio da Luz", sublinhou o movimento.

Os pontos propostos a discussão na eventual AG "visam o esclarecimento cabal do processo eleitoral realizado no passado dia 28 de outubro", bem como "a criação de um regulamento eleitoral que dote processos futuros de maior transparência e independência", para que "não haja qualquer tipo de dúvida na forma ou no resultado".

Segundo o movimento, "deve, também, ser integralmente mantida toda a documentação relativa à eleição do passado dia 28 de outubro, nomeadamente as atas processuais, a informação digital de todo o processo e os talões de confirmação dos votos físicos, para que possam ser objeto de discussão" na AG extraordinária.

O movimento 'Servir o Benfica', que era liderado por Francisco Benítez, desistiu da candidatura às eleições do Benfica, em outubro do ano passado, para se unir à lista de João Noronha Lopes.

Nas eleições mais concorridas da história do emblema lisboeta, nas quais votaram 38.102 sócios, Luís Filipe Vieira foi reconduzido para um sexto mandato como presidente, recebendo 62,59% dos votos e batendo João Noronha Lopes (34,71%), e Rui Gomes da Silva (1,64%).