Desporto

Violência mancha festa do Estoril sobre o Leixões na Liga Revelação

DR

Estoril Praia conquistou a Liga Revelação de futebol, ao vencer o Leixões por 2-0.

O Estoril Praia conquistou esta terça-feira a Liga Revelação de futebol, ao vencer o Leixões (2-0) no jogo da 10.ª e última jornada da fase de Apuramento de Campeão, que ficou manchado por cenas de violência entre as duas equipas.

Num encontro disputado no Estádio António Coimbra da Mota, na Amoreira, o que se prenunciava como uma festa para a afirmação de jovens talentos e a decisão de um título nacional da prova do escalão de sub-23, redundou num espetáculo lamentável, cujo fim foi antecipado nos derradeiros minutos de 'descontos' devido aos confrontos entre jogadores, elementos dos bancos e até assistentes de recinto desportivo.

A GNR foi obrigada a intervir em campo para tentar serenar os confrontos, mas a situação atingiu proporções tão graves que nem se completaram os sete minutos de compensação inicialmente concedidos. Ato contínuo, o jogo deu lugar à festa precoce dos jogadores do Estoril e à revolta incontida dos jogadores do Leixões.

O final indigno ofuscou o (pouco) futebol que se jogou dentro das quatro linhas, sempre mais pautado pelos nervos do que pela razão. E porque todo o fim tem um começo, este momento ficou marcado logo aos 10 minutos, no momento em que Mário Júnior viu o vermelho direto por falta sobre Lucho Veja, quando o jogador 'estorilista' fugia em direção à baliza.

A contestação instalou-se do lado do Leixões, com o árbitro João Marques como principal alvo, mas o técnico José Faria reorganizou a equipa de forma inteligente e o conjunto de Matosinhos conseguiu disfarçar a inferioridade numérica e criar diversos calafrios à defesa da equipa orientada por Vasco Costa.

Já o Estoril, que se apresentava sem uma referência no eixo do ataque para tentar baralhar as marcações, viu a expulsão do adversário dificultar a sua própria estratégia, ao ver o espaço ofensivo diminuir com o recuo do Leixões para um bloco mais baixo. Amarrado entre a tática, os nervos e a falta de eficácia dos dois lados, o nulo resistiu até ao intervalo.

Porém, bastaram três minutos no segundo tempo para o Estoril encontrar o caminho do golo, caminho esse que se iniciou no banco, de onde Lucas Macula saltou minutos antes para depois assinar o 1-0. O golo que poderia valer o título já mudava a história do jogo, mas esta iria sofrer novo abalo com outra expulsão no Leixões: aos 59, André viu também o vermelho direto, desta feita por palavras dirigidas ao árbitro.

Num cenário de nove contra 11, o Leixões ainda tentou procurar o golo do empate que lhe salvasse o primeiro lugar e o título. Porém, já não havia argumentos suficientes e estes foram definitivamente arrumados em tempo de descontos, com o 2-0, por Ruben Pina, que também havia saído do banco de suplentes, a confirmar a vitória do Estoril na Liga Revelação 2020/2021.

  • A árdua experiência com a sustentabilidade 

    Mundo

    E se alguém lhe dissesse que passaria a viver num quarto, com eletricidade apenas para pequenos utensílios domésticos, sem aquecimento central, ar condicionado ou água quente. Teria apenas três conjuntos de roupa, sem máquina de lavar ou secar, faria dieta local sem produtos de origem animal e não andaria de automóvel nem de avião?

    Opinião

    João Abegão