Desporto

Azerbaijão permite 50% de lotação no estádio olímpico de Baku no Euro 2020

Michaela Rehle

O estádio olímpico de Baku tem capacidade para quase 70.000 espetadores.

Os quatro jogos do Euro2020 de futebol que se vão realizar no estádio olímpico de Baku, no Azerbaijão, só podem contar com uma lotação de 50% de público, devido à pandemia de covid-19, anunciaram esta quinta-feira as autoridades azeris.

A decisão foi tomada durante uma reunião entre membros do governo do Azerbaijão e representantes da comissão organizadora do Euro2020, que só será realizado em 2021 por causa da pandemia, e foi revelada em comunicado pela federação de futebol do país, que vai acolher três jogos da primeira fase (grupo A) e um dos quartos de final do torneio.

O estádio olímpico de Baku tem capacidade para quase 70.000 espetadores, quase a mesma capacidade da Arena Gazprom, em São Petersburgo, que também foi recentemente autorizada pelas autoridades russas a cobrir 50% da sua capacidade.

A capital do Azerbaijão, que já sediou a final da Liga Europa entre Chelsea e Arsenal (4-1) em 2019, receberá quatro partidas do Euro2020, três da primeira fase do grupo A.

A partida entre País de Gales e Suíça será disputada em 12 de junho, depois jogam a Turquia e o País de Gales, em 16 de junho, e a Suíça e a Turquia, no dia 20 do mesmo mês.

As partidas dos 'quartos' que, além de Baku, também vão ser disputadas em Munique (Alemanha), Roma (Itália) e São Petersburgo, serão disputadas em 03 de julho.

Esta decisão foi tomada um dia depois de o governador da Baviera, na Alemanha, e a Federação de Futebol da Irlanda, países que também vão acolher jogos da competição, terem manifestado dúvidas quanto à possibilidade de serem autorizados estádios cheios no Euro2020, adiado para este verão devido à pandemia de covid-19.

A UEFA tem como objetivo acolher os jogos do Euro2020, que coroará o sucessor de Portugal, vencedor do Euro2016, com o máximo número de espetadores possível, com a opção de estádios vazios completamente excluída.

"Cada cidade deverá garantir que terão adeptos", realçou o presidente do organismo, Aleksander Ceferin, que terá em 19 de abril uma reunião definitiva sobre possíveis alterações.