Desporto

Champions. "Ir com muita sede ao pote pode ser prejudicial", alerta Sérgio Conceição

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto

JOSE COELHO

O treinador do FC Porto admite algumas cautelas na forma de encarar o duelo com o Chelsea, para a segunda mão dos quartos de finais.

Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, garantiu, esta segunda-feira, que a equipa está "compacta e coesa" para o jogo desta terça-feira, frente ao Chelsea, da segunda mão dos quartos de final da Liga dos Campeões de futebol, no qual pretende evitar precipitações.

Os 'dragões' precisam de anular uma desvantagem de dois golos, trazida do primeiro jogo com os ingleses, mas, apesar dessa necessidade para seguirem em frente na competição, o técnico admite algumas cautelas na forma de encarar este duelo.

"Neste tipo de jogos, ir com muita sede ao pote pode ser prejudicial. É preciso marcar, mas também não sofrer", alertou Sérgio Conceição.

Analisando a componente estratégia para este desafio, o treinador 'portista' lembrou que "não é com muitos avançados que se ataca melhor nem com mais defesas que se defende melhor", vincando que o controlo emocional será fundamental.

"Temos de ser equilibrados nos diferentes momentos do jogo para não sermos surpreendidos. A ansiedade será prejudicial. É muito importante pensar naquilo que se vai fazer para alcançar o resultado final, mas não entrar com o resultado final na cabeça", partilhou Sérgio Conceição.

O técnico dos 'azuis e brancos' disse não ter uma "bola mágica" para antecipar a postura do Chelsea para este desafio, depois de ter ganho a primeira metade da eliminatória por 2-0, preferindo, por isso, concentrar as atenções na sua equipa.

"Analisámos a dinâmica do adversário e aquilo que podemos ou não fazer melhor. Temos de perceber que fragilidades podemos explorar e trabalhar e melhorar aquilo que já foi uma boa prestação da equipa", disse.

Sérgio Conceição confessou uma forte ambição em vencer este desafio e seguir em frente na competição, de forma a dar sequência à carreira da equipa nos últimos anos nesta Liga dos Campeões, mesmo lembrando a diferença de argumentos dos clubes nacionais para os emblemas das cinco principais ligas europeias.

"Ninguém quer ganhar tanto este jogo como eu, mas não podemos apagar de todo o trajeto que temos feito na Liga dos Campeões. Estamos em Portugal, gastamos o que gastamos, com dificuldades. É uma diferença brutal em relação aos outros. Mas estamos aqui prontos para ir à luta e dar luta", garantiu.

Ainda no âmbito do desequilíbrio financeiro, nomeadamente entre a sua equipa e o Chelsea, Sérgio Conceição lembrou que "há jogadores que, sozinhos, custaram mais do que o valor que o FC Porto gastou no mercado", mas vincou que no futebol nem sempre isso conta.

"Os orçamentos e estatísticas nem sempre ganham jogos. E contra mim falo. No último jogo, com o Chelsea, ganhámos a nível estatístico e perdemos por 2-0. Temos de acreditar, ser resilientes, e perceber que todas as dificuldades que possamos ter pela frente podem ser ultrapassadas com espírito forte", analisou.

Para este segundo desafio com o conjunto britânico, Sérgio Conceição volta a ter nas opções Taremi e Sérgio Oliveira, que regressam de castigo, embora ainda não haja certeza se o médio estará apto, devido a problemas físicos.

"Ainda vamos ver. No último jogo [com o Tondela], achei que não estava pronto para os 90 minutos. Foi um problema muscular que é sempre perigoso. Estamos num momento importante da época. Temos a 'Champions' e o campeonato para disputar, com jogos muito exigentes", partilhou o treinador do FC Porto.

Na comitiva que segue para Sevilha, que pela segunda vez será o palco da eliminatória, Sérgio Conceição incorporou todos os jogadores do plantel, com exceção do guarda-redes Diogo Costa, que ainda recupera de covid-19.

O FC Porto, na condição de visitante, joga esta terça-feira, na cidade espanhola de Sevilha, com os ingleses do Chelsea, na segunda mão dos quartos de final da Liga dos Campeões, numa partida agendada para as 20:00, que terá arbitragem de Clément Turpin, de França.

  • Investir agora na infância para poupar no futuro

    Desafios da Mente

    Assegurar o desenvolvimento saudável de todas as crianças é essencial para as sociedades que procuram alcançar o seu pleno potencial sanitário, social e económico. A prevenção da adversidade precoce deve ser uma preocupação diária e não apenas assunto no mês de abril, mês Internacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância. Os Governos, as famílias, as comunidades e as organizações devem ser envolvidas a fim de alcançar estes objetivos.