Desporto

Rúben Semedo detido por alegada violação. Jogador conhece medidas de coação na quinta-feira

No mesmo dia em que também prestará declarações.

O Rúben Semedo garante que é inocente e que a jovem que agora o acusa de violação mentiu por dinheiro. O jogador português voltou esta terça-feira ao tribunal, mas só na próxima quinta-feira fica a conhecer as medidas de coação.

Depois da segunda noite atrás detido, Rúben Semedo voltou a apresentar-se à justiça grega, pedindo desta vez novo prazo para prestar declarações.

Esteve em tribunal menos de uma hora, reservando para a próxima quinta-feira as explicações sobre o que diz ter acontecido na madrugada de sexta para sábado.

Aponta o dedo à jovem de 17 anos, que afirma ter sido violada pelo jogador e por um amigo de 40 anos empresário, enquanto estava sob o efeito do álcool.

O jogador garante que não praticou nenhum crime, que as relações sexuais foram consentidas e que a alegada vítima mente com o objetivo de fazer dinheiro.

A um canal de televisão grego, o advogado também já tinha dito o mesmo e adiantou alguns pormenores sobre a noite do alegado crime.

"Se eu fosse à casa de alguém e se me violassem, sairia imediatamente de lá. Neste caso, ela continuou lá na casa, mandaram vir comida, fumaram shisha e se não tivesse existido esta queixa provavelmente ainda continuariam lá. Não pode ter existido violação, caso contrário ela não teria mandado mensagem [ao Rúben Semedo] para se voltarem a encontrar na noite seguinte."

As mensagens e outras provas já estarão na posse das autoridades.

Na próxima quinta-feira o jogador do Olympiacos, já com cadastro criminal por crimes de sequestro, ofensas corporais, roubo e posse ilegal de armas cometidos em Espanha e pelos quais foi condenado a pena suspensa, fica conhecer as medidas de coação.

Se vier a ser condenado, arrisca uma pena de prisão pesada, já que a violação em grupo é considerado pelo código penal grego um crime hediondo.

Veja também: