Desporto

Presidente da Liga espanhola acusa PSG de "aldrabar" as suas contas

Presidente da liga espanhola, Javier Tebas.

Susana Vera

Javier Tebas avisa que o clube francês tem uma "despesa salarial de cerca de 600 milhões de euros quando compete numa liga em que os direitos audiovisuais caíram 40%".

O presidente da Liga espanhola de futebol acusou esta quarta-feira o Paris Saint-Germain de "aldrabar" o controlo financeiro do clube, numa comparação aos alegados problemas financeiros que Real Madrid e FC Barcelona atravessam.

"O Real Madrid nunca pode ser o PSG porque o PSG aldraba as suas contas e o controlo financeiro. Atualmente, tem uma despesa salarial de cerca de 600 milhões de euros quando compete numa liga em que os direitos audiovisuais caíram 40%", afirmou Javier Tebas, em declarações aos jornalistas espanhóis, à margem da apresentação de um novo patrocínio da liga espanhola.

O dirigente de 59 anos considerou que o comportamento do emblema francês "é um dos problemas que existe atualmente no futebol europeu" e frisou que os clubes espanhóis nunca terão igual estratégia.

"Por exemplo, é impossível que as receitas do PSG com patrocinadores sejam 30% superiores à receita média de Manchester United, Real Madrid ou FC Barcelona. É absolutamente impossível. É uma aldrabice", frisou.

Tebas assumiu que ficou "irritado" com a ida de Lionel Messi para o futebol francês e pela contratação falhada de Kylian Mbappé pelo Real Madrid, situações que, mesmo assim, diz que não enfraquecem o campeonato espanhol.

"Gostaríamos de ter os melhores. Talvez da próxima vez. Esta temporada, vamos ver Ansu Fati (FC Barcelona) e Vinicius (Real Madrid) e podemos dizer que os melhores jovens estão connosco", disse.

Tebas adiantou ainda que um dos grandes objetivos da atual temporada passa pela assinatura de um novo contrato de direitos televisivos e de uma maior distribuição da competição pelo mundo.

VEJA MAIS:

  • 2:29