Desporto

Portugal nas meias-finais do Mundial de futsal ao bater Espanha no prolongamento

Alex Caparros - FIFA

A equipa das Quinas estava a perder por dois golos, mas conseguiu dar a volta ao marcador.

A seleção portuguesa de futsal qualificou-se esta segunda-feira, pela terceira vez, para as meias-finais do Mundial, ao vencer a Espanha, campeã em 2000 e 2004, por 4-2, após prolongamento, em Vílnius, na Lituânia.

Na reedição da final do Euro2018, conquistado por Portugal, os espanhóis estiveram a ganhar por 2-0, com tentos de Adolfo (21 minutos) e Adri (23), mas André Coelho (31), Zicky (36), Raya (43, na própria baliza) e Pany Varela (48) selaram a reviravolta.

A formação das Quinas, que tem com melhores resultados em Mundiais o terceiro lugar de 2000 e o quarto de 2016, vai defrontar nas meias, na quinta-feira, o Cazaquistão.

Selecionador espanhol critica arbitragem após derrota com Portugal

O selecionador espanhol de futsal, Fede Vidal, criticou a arbitragem da derrota contra Portugal (4-2), nos quartos de final do Mundial, uma partida "muito equilibrada em muitas fases".

"Foi um jogo muito equilibrado em muitas fases. Em algumas fomos superiores; pusemo-nos a ganhar 2-0, tivemos oportunidades, bolas ao poste... lamentamos isso, infelizmente a bola não entrou para fazer o terceiro golo", começou por dizer o técnico.

No primeiro golo sofrido, acusa, "há uma falta clara".

"Assim, o videoárbitro não serve. Se não são capazes de ver e decidir que erraram, não serve para nada", atirou.

Eliminada, a Espanha viveu um Mundial que acaba de forma "precoce", por culpa de alguma "falta de sorte" e falta de eficácia, numa prestação que, no global, exige "uma autocrítica" e um "planeamento para melhorar".

O jogador Carlos Ortiz, por seu lado, reforçou a ideia da falta de sorte, mesmo quando a equipa "trabalhou muito no duro", mas "o desporto não recompensou o trabalho".

► Veja mais: