Desporto

Polónia afasta Eslovénia do Europeu de basquetebol em jogo que “ganhou” duas vezes

Polónia afasta Eslovénia do Europeu de basquetebol em jogo que “ganhou” duas vezes
DeFodi Images
Numa partida dos quartos de final.

A Polónia protagonizou uma grande surpresa no Europeu de basquetebol, ao vencer a campeã em título Eslovénia por 90-87, num embate dos quartos de final em que sobreviveu a uma enorme reviravolta.

Em Berlim, a formação polaca, liderada por um ímpar triplo duplo de Mateusz Ponitka, parecia estar certa nas meias-finais quando conseguiu uma vantagem de 22 pontos na primeira parte (58-36), mas a formação eslovena respondeu em grande.

Sob o comando de Doncic, e sem precipitações, a Eslovénia fez um terceiro período de grande nível (24-6), colocando-se a um ponto e, no início do quarto, completou a reviravolta, colocando-se cinco pontos à maior (73-68).

Os campeões pareciam ter feito o mais difícil, mas a Polónia não desistiu, manteve-se por perto e, na parte final, acabou por superiorizar-se, mesmo não se livrando de um susto, quando permitiu aos eslovenos, já sem Doncic - excluído com cinco faltas a 3.02 minutos do final -, recuperar de 89-80 para 90-87.

A Eslovénia ainda teve uma posse de bola para levar o jogo para prolongamento, mas Klemen Prepelic não conseguiu, lançando de muito longe, num lance em que ficou a queixar-se de uma falta.

Mateusz Ponitka, autor de 26 pontos, com oito em 17 nos tiros de campo, incluindo cinco em 13 nos triplos, e cinco em seis nos lances livres, 16 ressaltos e 10 assistências, foi o grande carrasco dos eslovenos.

O naturalizado AJ Slaughter, com 16 pontos, seis ressaltos e quatro assistências, e Michael Sokolowski, com 16 pontos e cinco ressaltos, estiveram também em bom plano, tal como Jaroslaw Zyskowski (14 pontos) e Aleksander Balcerowski (11).

Na formação eslovena, Luka Doncic ficou perto do triplo duplo, com 14 pontos, 11 ressaltos e sete assistências, mas, visivelmente desgastado fisicamente, esteve a 'quilómetros' de anteriores exibições e não logrou evitar o desaire.

Vlatko Cancar, com 21 pontos, e Goran Dragic, com 17, foram os melhores marcadores dos eslovenos, que só contaram com oito pontos de Mike Tobey e deram-se muito mal com a grande agressividade da defesa polaca.

O primeiro período foi muito equilibrado, embora quase sempre com vantagem da Polónia, que acabou à frente (29-26) e reforçou drasticamente a vantagem no segundo, ao conseguir um incrível parcial de 22-2, no espaço de 7.24 minutos.

Os polacos chegaram a liderar por 22 pontos (58-36) e viraram com mais 19 (58-39), mas tudo mudou após o intervalo, com a Eslovénia a dominar por completo o terceiro período (24-6) e a colocar-se a apenas um ponto (64-63).

No quarto período, os campeões continuaram por cima de início e chegaram a liderar por cinco pontos (73-68), mas não sentenciaram, e a Polónia, que chegou a parecer perdida, 'regressou' ao jogo e impôs-se na parte final.

Os polacos, que já garantiram a sua melhor classificação no Europeu desde o quarto lugar de 1971 - somaram, antes disso, uma prata e dois bronzes -, vão defrontar nas meias-finais a França, que superou a Itália por 93-85, após prolongamento.

Últimas Notícias
Mais Vistos