Desporto

Rui Pinto e Solange Jesus sagram-se campeões nacionais de atletismo de estrada

Rui Pinto e Solange Jesus sagram-se campeões nacionais de atletismo de estrada
Facebook/Federação Portuguesa de Atletismo

As provas decorreram em Joane, no concelho de Vila Nova de Famalicão.

Rui Pinto (Sporting), na vertente masculina, e Solange Jesus (Feirense), na feminina, sagraram-se este domingo campeões nacionais de atletismo de estrada, ao vencerem as respetivas provas de 10 quilómetros, em Joane, no concelho de Vila Nova de Famalicão.

O atleta verde e branco cruzou a meta com uma marca de 29.41 minutos, à frente de Bernardo Rocha, corredor do Salgueiros ainda inscrito pelo escalão sub-23 (29.43), e do também sportinguista Lucas da Silva (29.45), conquistando pela segunda vez o título nacional masculino, depois de já o ter feito em 2019, em Oeiras, mas ao serviço do Benfica.

Rui Pinto admitiu que o triunfo na vila de Joane "não é uma estreia" no campeonato nacional de estrada, mas "é como se fosse", e que até tinha dúvidas quanto ao nível que iria exibir, após ter percorrido a maratona no campeonato da Europa de 2022, em agosto -- foi 20.º classificado -, e fruído, depois, de 15 dias de férias.

"Tento estar sempre a um nível que me permita discutir as corridas, [...] mas desliguei-me um bocadinho do atletismo. Chegar aqui nestas condições e poder lutar pela vitória é inacreditável. Estou muito satisfeito. Isto é fruto do trabalho de quem me incentiva e me ajuda para, nos momentos certos, estar ao melhor nível", realçou o atleta de 29 anos, que sucede a Luís Saraiva, do Sporting de Braga -- o campeão de 2021, em Felgueiras, foi este domingo 14.º classificado.

Na prova feminina, Solange Jesus, de 35 anos, sagrou-se pela primeira campeã nacional absoluta de estrada, com uma marca de 33.58 minutos, à frente de Ana Mafalda Ferreira, do Sporting, que repetiu o segundo lugar de 2021, agora com uma marca de 34.03 -- no ano passado, fizera 35.16 -- e da também 'verde e branca' Catarina Ribeiro (34.30).

Inscrita como veterana, a vencedora reconheceu o "significado muito especial" da inédita vitória numa prova em que andou sempre "na frente", como idealizara."Mentalizei-me de que tinha de correr na frente.

Com o decorrer da prova, ia num ritmo confortável. Fez-se uma seleção e, a determinada altura, tentei arriscar. Senti que estava com alguma capacidade e foi uma questão de chegar ao fim em primeiro", disse a sucessora de Mariana Machado (Sporting de Braga), campeã em 2021.

A nível coletivo, o Sporting conquistou o quinto título nacional masculino, isolando-se como terceiro clube mais vitorioso no historial do campeonato nacional de estrada, atrás da Conforlimpa (11 títulos) e do Benfica (sete), e o sexto feminino, que lhe vale o estatuto de segundo emblema mais ganhador, atrás do Maratona, com 13.

Últimas Notícias
Mais Vistos