Desporto

Figuras do futebol ajudam jogadores em dificuldades do Villa Athletic

Treinador do FC Porto, Sérgio Conceição
Treinador do FC Porto, Sérgio Conceição
Europa Press Sports
Também a equipa técnica do Villa Athletic, liderada por Meyong, disponibilizou um apartamento e comida para os jovens jogadores.

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, e os futebolistas Francisco Geraldes (Estoril Praia) e João Costinha (Santa Clara) disponibilizaram-se a ajudar os jogadores do Villa Athletic que estão em dificuldades, disse esta quinta-feira Edinho à agência Lusa.

"É isto que o futebol tem de bonito e por isso continuo a jogar, com 40 anos. A solidariedade das pessoas ligadas ao futebol tem sido incrível. O Sérgio Conceição já me ligou a oferecer ajuda, o Francisco Geraldes, que não conhecia, mas mandou-me logo uma mensagem, o João Costinha e a esposa... Muita gente mesmo", revelou o internacional português.

O presidente do Villa Athletic Club, Fábio Lopes, conhecido como “Conguito”, assumiu na terça-feira que este recém-criado clube de futebol, que compete nos distritais de Portalegre, atravessa "dias muito difíceis", por dificuldades financeiras, e procura "soluções de viabilização" do projeto.

Nesse dia, pelo menos quatro jogadores manifestaram o seu desagrado com alegados salários em atraso e falta de condições ao presidente do clube, à porta do Grupo Renascença, em Lisboa, segundo o Record.

Alguns jovens jogadores do clube, que terão sido "aliciados" por Fábio Lopes "para aceitar as condições oferecidas" estão a ser ajudados pelo avançado português e por elementos da equipa técnica liderada por Meyong.

"Já temos sítio para eles. O [treinador-adjunto] Bruno Gomes tem um apartamento na Moita, que estava livre, já estamos a limpar e a arranjar tudo para eles ficarem lá instalados, providenciámos comida e tudo o mais", revelou Edinho.

Para o antigo jogador de Vitória de Setúbal, Sporting de Braga, Académica e Marítimo, entre outros, tem sido "precisamente o caráter e a vontade destes jovens para fazer a diferença" que o motivou a aceitar e a acreditar no projeto de Fábio Lopes.

"O que nos venderam foi um sonho e confesso que não tinha dúvidas. Era um projeto para inspirar os jovens, apoiá-los, na envolvência do Alentejo. Foi com este sonho que entrou nas nossas cabeças e depois veio deitar tudo abaixo, mas esqueceu-se do nosso caráter. Alguns destes jovens quiserem deixar de jogar futebol por causa disto. É inadmissível e por isso sinto-me enojado", desabafou Edinho.

Entretanto, o Sindicato dos Jogadores de futebol criticou na quarta-feira a situação do Villa Athletic, clube criado no verão e inscrito na Associação de Futebol de Portalegre, que terá deixado os jogadores em situação precária.

"As últimas semanas ficaram marcadas por dois casos particularmente graves no futebol distrital, que deixaram dezenas de jogadores, muitos deles estrangeiros, numa situação de estado de necessidade absolutamente inaceitável", referiu o Sindicato, em comunicado.

Em quatro meses, o "sonho" do Villa Athletic Club "virou pesadelo"

Fundado no dia 14 de junho de 2022, com sede em Ponte de Sor, o Villa Athletic Club foi inscrito nas competições da Associação de Futebol de Portalegre (AFP).

De acordo com a Rádio Portalegre, os jogadores do clube, entre os quais Edinho e André Carvalhas, que já passaram por competições profissionais, treinam na zona da Grande Lisboa e apenas se deslocam ao distrito de Portalegre para os jogos.

Esta rádio noticiou que o Villa faltou ao jogo da primeira jornada da Taça Remax da AFP e que, na segunda ronda, no domingo, em Elvas, apresentou-se com 12 jogadores, sem equipa técnica e com equipamento emprestado pelo Grupo Desportivo Samora Correia.

Loading...
Últimas Notícias
Mais Vistos