Desporto

Mais de 25 atletas foram alvo de mensagens ofensivas nos Mundiais de Eugene

Mais de 25 atletas foram alvo de mensagens ofensivas nos Mundiais de Eugene
Canva

Dois atletas, um homem e uma mulher, foram particularmente visados pela "violência digital".

Mais de 25 atletas, na maioria mulheres, foram alvo de mensagens ofensivas nas redes sociais, sobretudo e cariz machista e racista, durante os Mundiais de atletismo, disputados em julho, indica uma análise divulgada esta sexta-feira pela World Athletics (WA).

O organismo que tutela o atletismo mundial utilizou uma ferramenta para monitorizar as contas nas redes sociais Twitter e Instagram de 461 atletas, alguns dias antes, durante, e depois dos Mundiais, que decorreram em Eugene, nos Estados Unidos, e que contaram com mais de 1.900 atletas.

De acordo com os resultados, 27 atletas, dos quais 16 mulheres, foram alvo de comentários de ódio, desses 40% de caráter sexista e 20% de cariz racista.

A WA refere que dois atletas -- um homem e uma mulher -- foram particularmente visados pela "violência digital" e concluiu que a maioria dos comentários é motivada por questões extradesportivas e não pelos resultados na competição.

"Os resultados desta análise são preocupantes, mas é importante sabermos onde e como os nossos atletas são atacados nas redes sociais, para que possamos agir e protegê-los para que tal não volte a acontecer", afirmou Sebastian Coe, presidente da WA.

O organismo indica que foram analisadas mais de 425.000 mensagens e entende ter o direito de denunciar os autores dos comentários mais violentos às autoridades nacionais, para possíveis processos judiciais.

Últimas Notícias
Mais Vistos