Economia

Segundo dia de greve nos CTT com adesão de 80%

O segundo dia de greve dos trabalhadores dos CTT teve uma adesão de 80% nos turnos da noite, nas centrais de Lisboa, Porto e Coimbra. De acordo com fonte do Sindicato Nacional dos Correios e Telecomunicações, Vítor Narciso, esta adesão verificou-se nos turnos que tiveram inicio a partir das 21h00.

De acordo com a empresa, no primeiro dia de paralisação, que ocorreu esta quinta-feira, a adesão foi de 70%, também nos turnos da noite.

Durante o dia, a greve mobilizou 17% dos funcionários e levou ao ecncerramento de apenas duas das 608 lojas CTT.

Em causa está o plano reestrutural que prevê a redução de 800 postos de trabalho.

  • "Quando os CTT ficarem vazios, já os acionistas têm o bolso recheado"
    1:12

    Economia

    A adesão no segundo dia de greve dos trabalhadores dos CTT nos três turnos da noite ronda os 80% nas centrais de Lisboa, Porto e Coimbra, segundo fonte do Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações (SNTCT). À SIC António Pereira, trabalhador dos CTT lançou duras críticas à administração da empresa por dar primazia aos interesses economicistas dos acionistas e ignorar os problemas dos trabalhadores. Os funcionários dizem que a degradação da qualidade dos serviços tem sido evidente e pedem a intervenção do Governo para que a empresa volte a ser do Estado.

  • Presidente dos CTT recusa despedimento coletivo
    2:06

    Economia

    O Presidente dos CTT recusa que a empresa esteja perante um despedimento colectivo. Francisco Lacerda foi ouvido na Assembleia da República, no mesmo dia que os Sindicatos e a Comissão de Trabalhadores dos Correios. O Presidente da empresa foi acusado de desmantelar a empresa com a saída de 800 trabalhadores, mas recusou que os serviços fiquem postos em causa.