Economia

Banco de Espanha prevê crescimento do PIB em 0,8% no quarto trimestre

A economia espanhola cresceu 0,8% no quarto trimestre, tal como no anterior, com a evolução do mercado de exportações a compensar o menor crescimento da Catalunha devido à incerteza política, avançou esta quarta-feira o Banco de Espanha.

No último relatório trimestral sobre a economia espanhola, o banco central sublinha que a informação disponível não permite ainda avaliar com precisão o impacto da crise catalã, mas avança que os seus efeitos se concentram na própria comunidade regional, onde se registou um recuo do consumo privado e do turismo.

A estabilidade do ritmo de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da Espanha é "consequência de duas forças que operam em sentidos opostos": o fortalecimento dos mercados de exportação contra os "efeitos adversos devido ao aumento da incerteza relacionada com a situação política na Catalunha", lê-se no relatório.

O banco central explica ainda que a expansão da economia espanhola entre outubro e dezembro continuou a ser apoiada principalmente pela procura nacional (consumo e investimento), embora o setor externo tenha contribuído positivamente para o crescimento trimestral, após a contribuição nula no terceiro trimestre.

A procura interna contribuiu com 0,6 pontos e a externa com 0,1 pontos, avança o Banco de Espanha, acrescentando que o consumo das famílias cresceu 0,6%, uma taxa semelhante à registada nos dois trimestres anteriores.

A informação disponível aponta ainda para uma aceleração do investimento em habitação, no quarto trimestre, num contexto em que os preços estão a aumentar, especialmente em habitação usada.

A atividade comercial manteve uma taxa de crescimento semelhante à do terceiro trimestre, maior no caso da indústria e da energia.

O setor externo terá sido impulsionado por uma aceleração do comércio de bens e serviços, tanto nas exportações quanto nas importações, após a estagnação do trimestre anterior.

Dentro dos serviços, o banco central destaca que o crescimento do turismo foi moderado devido à situação na Catalunha, onde a chegada dos turistas caiu em outubro.

Já o emprego, após uma ligeira desaceleração no terceiro trimestre, mostrou maior dinamismo na parte final do ano, com um crescimento de 0,8%.

Lusa