Economia

Presidente do FMI critica excedente externo da Alemanha

Mike Theiler

A diretora-geral do FMI criticou o excedente externo da economia alemã. Christine Lagarde defendeu que é elevado e está a contribuir para o desequilíbrio mundial.

O presidente do Deutsche Bundesbank, o banco central alemão, já respondeu às críticas e defendeu um nível máximo de excedente. No entanto, Jens Weidmann reconhece que a Alemanha precisa de modificar o gasto público e apostar mais nos investimentos, sobretudo na infraestrutura digital.

A Alemanha teve o excedente equivalente a 8% do PIB, no terceiro trimestre de 2017, o maior do mundo no ano passado, segundo o Instituto alemão de Investigação Económica.