Economia

Sonae, Semapa e Santander Totta com novos líderes em 2019

Rafael Marchante

Conheça algumas das mudanças previstas para 2019.

O ano de 2019 vai trazer mudanças na liderança de algumas das maiores empresas em Portugal, como a Sonae, a Semapa ou o Santander Totta.

A passagem de "testemunho" de Paulo Azevedo para a irmã, Cláudia Azevedo, que irá assumir a presidência executiva da Sonae em 2019, é um dos destaques do ano.

Na Semapa, Heinz-Peter Elstrodt passa a presidente do Conselho de Administração e, no Santander Totta, António Vieira Monteiro deixa a presidência executiva e passa a 'chairman' (presidente do Conselho de Administração) do banco.

Já a Associação Mutualista Montepio Geral, após eleições, continuará a ser liderada por Tomás Correia.

Também na Euronext Lisbon haverá mudanças, com Isabel Ucha a suceder a Paulo Rodrigues da Silva na presidência executiva.


Algumas das mudanças previstas para 2019


Sonae


Cláudia Azevedo assume em 2019 a presidência executiva da Sonae, sucedendo ao irmão Paulo Azevedo, naquela que é a primeira grande mudança do grupo após a morte do pai, Belmiro de Azevedo, em novembro de 2017.

A filha mais nova de Belmiro de Azevedo, que foi um dos homens mais ricos de Portugal, (irmã de Paulo Azevedo e de Nuno Azevedo) faz 49 anos em 13 de janeiro, tem dois filhos e é licenciada em Gestão pela Universidade Católica do Porto, tendo um MBA (sigla em inglês para Master of Business Administration) na escola de negócios Insead.

Cláudia Azevedo foi, nos últimos anos, presidente executiva da Sonae Capital, com atividade em hotelaria, 'fitness' e energia, tendo renunciado ao cargo para se preparar para a liderança que assume no próximo ano.

"Agradeço o voto de confiança manifestado pelo Conselho de Administração da Sonae e pelo Conselho de Administração da Efanor ['holding' da família de Belmiro de Azevedo, que detém maioria da Sonae] na proposta da minha eleição para CEO [presidente executiva] da Sonae para o mandato a iniciar em 2019", disse Cláudia Azevedo, em comunicado.


Santander Totta


Os acionistas do Santander Totta aprovaram no dia 13 de dezembro a nova composição da administração, com António Vieira Monteiro a deixar a presidência executiva e a passar a 'chairman' do banco, que terá Pedro Castro Almeida como presidente executivo.

Os novos órgãos sociais irão liderar o banco no triénio 2019-2021.

Vieira Monteiro deixa a presidência executiva da instituição depois de sete anos a ocupar este cargo.

Na presidência do Conselho de Administração do Santander Totta, Vieira Monteiro será acompanhado pelos vice-presidentes José Carlos Sítima e Pedro Castro e Almeida.

Entre os nomes da lista de 15 novos administradores do conselho está o diretor ('dean') da faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa (Nova SBE), Daniel Traça.

Semapa


A Semapa informou o mercado, em outubro, que tinha escolhido Heinz-Peter Elstrodt como presidente do Conselho de Administração ('chairman') da empresa e João Castello Branco como 'chairman' das participadas The Navigator e Secil.

Heinz-Peter Elstrodt, alemão, de 62 anos, assume a presidência a partir do dia 01 de janeiro e
Já João Castello Branco, presidente executivo da Semapa, vai acumular este cargo com o de 'chairman' das participadas Navigator e Cecil.

Estas nomeações acontecem na sequência da morte do presidente do grupo, Pedro Queiroz Pereira, em agosto último, que ocupava aqueles cargos.

Euronext Lisbon


Paulo Rodrigues da Silva, que ocupou o cargo de presidente executivo da Euronext Lisbon, renunciou ao cargo em novembro e será substituído por Isabel Ucha a partir de 01 de janeiro.

A renúncia de Paulo Rodrigues da Silva ao cargo de presidente executivo da Euronext Lisbon foi justificada com a decisão de se dedicar a "projetos pessoais, no campo do empreendedorismo e da academia".

Isabel Ucha está na Euronext desde 2007 e chegou a assumir interinamente a liderança da Euronext Lisbon, em 2016.

Associação Mutualista Montepio Geral


Tomás Correia foi reeleito para a presidência da Associação Mutualista Montepio Geral (AMMG), que detém o banco Montepio, ainda que tenha perdido a maioria.

O gestor venceu as eleições da AMMG, que decorreram em 07 de dezembro, à frente da lista A, com 43,2% dos votos.

A lista C, liderada por António Godinho, ficou em segundo lugar, com 36,3% dos votos, e a lista B de Fernando Ribeiro Mendes em terceiro, com 20,5% dos votos.

Há três mandatos à frente da Associação Mutualista Montepio Geral, Tomás Correia é atualmente visado em vários processos de investigação pelo Banco de Portugal e pelo Ministério Público, por suspeitas de ilícitos na esfera regulatória e criminal.

Lusa

  • Leonel Pontes prefere Sporting a vencer, mesmo sem convencer
    2:18