Economia

BCP aumenta lucros em 79,7% no primeiro trimestre

O produto bancário avançou 11,1% para 597,7 milhões de euros.

O BCP teve lucros de 153,8 milhões de euros no primeiro trimestre, mais 79,7% face aos mesmos três meses de 2018, divulgou esta quinta-feira o banco.

Apenas em Portugal, os lucros foram de 94,3 milhões de euros, mais do dobro na comparação homóloga.

Em termos consolidados, o produto bancário avançou 11,1% para 597,7 milhões de euros, com a margem financeira a crescer 5,2% para 362,7 milhões de euros, enquanto as comissões desceram 0,7% para 166,6 milhões de euros.

Em outros proveitos o banco conseguiu 68,3 milhões de euros, mais 171,4% do que no primeiro trimestre de 2018, o que o presidente do banco, Miguel Maya, justificou na conferência de imprensa de apresentação de resultados, em Lisboa, com ganhos em dívida pública e corporativa.

Do lado dos gastos, os custos recorrentes subiram 4,5% para 253,5 milhões de euros e os custos de reestruturação relacionados com trabalhadores avançaram 73,8% para 6,0 milhões de euros.

Já as imparidades e provisões desceram 20% para 103,9 milhões de euros.

O banco destaca que entre março de 2018 e março de 2019 os ativos problemáticos (NPE -- 'non performing exposures', na expressão técnica em inglês, que inclui sobretudo crédito malparado) desceram 1,9 mil milhões de euros para 5.178 milhões de euros.

Para o resultado consolidado, além de Portugal, as operações internacionais (Polónia, Moçambique e Angola) contribuíram com 46,1 milhões de euros, mais 12,1% face aos primeiros três meses de 2018.

Na apresentação de resultados, Miguel Maya destacou o resultado "muito positivo" da Polónia, onde o BCP tem o Bank Millennium.

Lusa