Economia

Lucro da Sonae sobe 6,5% no 1.º trimestre para 18,3 M€

No primeiro trimestre, o volume de negócios da Sonae avançou 8,9%.

A Sonae totalizou 18,3 milhões de euros de lucro no primeiro trimestre, mais 6,5% do que no período homólogo, impactado pelo crescimento das vendas e pela melhoria da rentabilidade operacional, foi esta quarta-feira anunciado.

"Com o crescimento das vendas e a melhoria da rentabilidade operacional, o resultado líquido atribuível a acionistas aumentou 6,5% para 18,3 milhões de euros", indicou, em comunicado, o grupo.

No primeiro trimestre, o volume de negócios da Sonae avançou 8,9% para 1.461 milhões de euros, "refletindo principalmente o crescimento na Sonae MC e a consolidação das vendas estatutárias da Sonae Sierra".

Por sua vez, no período em causa, o EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciação e amortização) cresceu 33,4% (34 milhões de euros) e atingiu 136 milhões de euros, "sustentado pelo crescimento do EBITDA subjacente, pelos resultados do método de equivalência patrimonial da Sonae Sierra e da ISRG e pela mais valia da venda da Saphety pela Sonae IM".

De acordo com a Sonae, este "bom desempenho ao nível da operacionalidade levou o resultado direto a atingir os 32,8 milhões de euros, mais 23 milhões de euros acima do valor registado no mesmo período de 2018".

Entre janeiro e março, o investimento aumentou 64% para 116 milhões de euros, destacando-se "o investimento realizado pela Sonae MC, no início do ano, na aquisição da rede de parafarmácias e cosmética espanhola Arenal".

Já a dívida líquida da Sonae diminuiu 99 milhões de euros em comparação com o primeiro trimestre de 2018, sendo atualmente de 1.701 milhões de euros.

Este valor reflete já a compra da Arenal, bem como os impactos da participação adicional de 20% da Sonae Sierra, "nomeadamente o investimento na aquisição (256 milhões de euros) e a consolidação da sua dívida líquida (205 milhões de euros)".

Por negócio, no retalho alimentar, a Sonae MC registou um aumento homólogo de 7,4% no volume de negócios para 1.048 milhões de euros.

No período em causa, a Sonae FS, por seu turno, manteve a evolução positiva registada em 2018, com o volume de negócios a progredir 16,7%, ascendendo a 8,1 milhões de euros.

A Sonae IM, durante o primeiro trimestre de 2019, registou um volume de negócios de 44 milhões de euros, mais 41% face a igual trimestre do ano anterior, "impulsionado pela integração da Nextel e da Excellium".

Entre janeiro e março, a Sonae Sierra, detentora e gestora de centros comerciais, registou um crescimento de 8,2% do volume de negócios para 58 milhões de euros.

Por último, no trimestre em causa, as receitas operacionais da NOS atingiram 385 milhões de euros, mais 0,6% em termos homólogos e o resultado líquido aumentou mais de 20% para 43 milhões de euros.

Citada no mesmo documento, a presidente executiva da Sonae considerou que a empresa teve um bom início de ano, "apesar do efeito de calendário adverso com uma Páscoa tardia".

Cláudia Azevedo sublinhou ainda que a empresa conta, atualmente com mais de 53 mil pessoas "comprometidas com a construção de uma nova 'long-living company' [empresa com uma vida longa] focada na criação de valor económico e social".

Para a responsável, este objetivo é alcançável "cuidando bem" dos 'stakeholders' (partes interessadas), com os quais a empresa se mantém comprometida.

Na sessão de hoje da bolsa, as ações da Sonae SGPS avançaram 1,96% para 0,96 euros.

Lusa

  • Votar? É mais praia...
    2:43