Economia

EUA proíbe viagens culturais e educacionais a Cuba

Phil Noble

Medida faz parte das novas sanções norte-americanas ao país.

Os Estados Unidos impuseram esta terça-feira novas sanções contra Cuba proibindo viagens culturais e educacionais em grupo para a ilha assim como a exportação de barcos e aviões privados e comerciais.

Washington, que acusa Havana de ter um "papel desestabilizador" na América Latina, proibiu a exportação de barcos e aviões, segundo um comunicado do Departamento do Tesouro.

A proibição de exportação aplica-se a cruzeiros e barcos pessoais, assim como aviões privados e comerciais.

"Esses atos vão ajudar a manter os dólares norte-americanos fora do alcance dos serviços militares, secretos e de segurança cubanos", indicou o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, em comunicado.

Segundo o Departamento do Tesouro, os EUA não vão permitir viagens culturais e educacionais em grupo para Cuba.

Essas viagens foram usadas por milhares de cidadãos americanos para visitar a ilha antes de os EUA restabelecerem relações diplomáticas completas com o Governo comunista em dezembro de 2014.

"Cuba continua a ser comunista e os Estados Unidos, sob Governos anteriores, fizeram concessões demais a um de nossos adversários históricos mais agressivos", salientou o secretário do Comércio, Wilbur Ross, em comunicado.

Os Estados Unidos, que acusam as autoridades cubanas de apoiar os regimes de Nicolás Maduro na Venezuela e Daniel Ortega na Nicarágua, aumentaram em abril a sua lista negra de empresas cubanas que não podem beneficiar de transações financeiras diretas dos EUA, incluindo um ramo do exército cubano dedicado ao turismo, chamado Gaviota.

Lusa

  • André Rieu fez um vídeo para os fãs portugueses
    0:38