Economia

Estaleiros navais de Belfast que construíram Titanic declaram insolvência

Liam McBurney

Os estaleiros são o símbolo do vigor da indústria naval na Irlanda do Norte, que entrou em declínio nas últimas décadas.

Os estaleiros navais norte-irlandeses Harland and Wolff, situados em Belfast e conhecidos por terem construído o Titanic, vão hoje iniciar o processo de insolvência, que será gerido pela empresa de auditoria BDO.

A companhia petrolífera norueguesa Dolphin Drilling, que possui o capital da Harland and Wolff (H&W), não conseguiu até agora encontrar um comprador nem convencer o governo britânico a intervir, tendo o executivo alegado tratar-se de uma questão "comercial".

A H&W, que chegou a empregar mais de 30.000 pessoas no início do século XX, agora tem apenas cerca de 130 funcionários dedicados.

O porta-voz do partido Trabalhista para as questões financeiras, John McDonnell, desafiou o primeiro-ministro, Boris Johnson, a nacionalizar os estaleiros.

"Com uma intervenção certa, incluindo a opção de os estaleiros passarem a ser propriedade estatal, nós sabemos que a Harland and Wolff ficaria em posição de ganhar contratos, tanto navais como comerciais, e de diversificar para novos produtos que dariam ao estaleiro um futuro estável e lucrativo a longo prazo", argumentou na segunda-feira, após uma visita às instalações.

Com as suas enormes e emblemáticas gruas amarelas, conhecidas por "Sansão e "Golias", os estaleiros são o símbolo do vigor da indústria naval na Irlanda do Norte, que entrou em declínio nas últimas décadas.

Estabelecidos em 1861, são conhecidos por terem construído o transatlântico Titanic, cujo naufrágio em abril de 1912, durante a viagem inaugural entre o Reino Unido e Nova Iorque, resultou na morte de mais de 1.500 dos 2.200 passageiros.

Durante a Segunda Guerra Mundial, produziu quase 150 navios de guerra, mas nos últimos tempos reduziu e diversificou a atividade para a remodelação de cruzeiros e o trabalho em projetos de energia eólica.

Lusa

  • Titanic II chega em 2022 e vai fazer a mesma rota que o original

    Mundo

    Mais de um século depois da tragédia do Titanic, eis que agora está a ser construído o Titanic II, que vai entrar em funcionamento em 2022 e fazer o mesmo percurso que o original fez na viagem inaugural. Resta saber se vão existir curiosos suficientes para embarcar nesta viagem, ou se a superstição sairá vencedora.

  • “Este despacho não é sobre casas de banho, é sobre pessoas”
    13:47