Economia

Anacom está a trabalhar para cumprir calendário de arranque do 5G

China Stringer Network

Presidente executivo da Altice Portugal tinha considerado que Portugal estava atrasado no lançamento do 5G e a "perder claramente o comboio".

A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) "está a trabalhar" para cumprir o calendário de arranque do 5G, que irá acontecer até junho do próximo ano, disse esta sexta-feira à Lusa fonte oficial do regulador.

"Estamos a trabalhar no calendário", quer sobre a quinta geração móvel, quer relativamente à televisão digital terrestre (TDT), cuja faixa 700 MHz vai ter de ser libertada para o 5G, adiantou a mesma fonte.

No caso da TDT, as pessoas vão ter de sintonizar outra frequência para aceder aos canais de sinal aberto (gratuito).

"Vamos ter soluções para apoiar as pessoas" na migração de uma frequência para a outra, processo que decorrerá no quarto trimestre deste ano, acrescentou.

Na terça-feira, o presidente executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca tinha considerado que Portugal estava atrasado no lançamento do 5G e a "perder claramente o comboio" da quinta geração móvel, apontado responsabilidades ao presidente da Anacom.

Cabe à Autoridade Nacional de Comunicações definir o calendário, sendo que a diretiva comunitária indica que a atribuição do 5G deverá ser realizada até junho de 2020, ou seja, daqui a menos de um ano.

Alexandre Fonseca criticou ainda o regulador por aquilo que considerou um "silêncio absoluto" sobre o processo de libertação da faixa 700 Mhz (megahertz) na TDT.

Lusa