Economia

O elogio de Marcelo ao plano económico de Rio

Ana Geraldes

Ana Geraldes

Jornalista

Presidente convidou o líder do PSD para almoçar em Lisboa.

O almoço não constava na agenda nem do Presidente da República nem do Presidente do PSD.

"O senhor Presidente teve a iniciativa de me convidar para almoçar e aqui estou com todo o gosto", respondeu Rui Rio, questionado pela agência Lusa à entrada do restaurante, à beira do Tejo, onde ficou combinado o encontro.

Bem diferente daquele que, há 15 dias, tiveram em Ovar, a convite de Salvador Malheiro, e que o Presidente incluiu aliás na agenda oficial da visita àquele concelho.

"O outro foi coletivo, foi colegial, neste estamos só os dois e mais à vontade para falar", disse o Presidente da República, adiantando que para conversar tinham muito: "a pandemia, a situação do país, no curtíssimo, curto e médio prazo".

E a propósito, o plano do PSD: "a primeira proposta de médio prazo que aparece", segundo o Presidente e que lhe arranca os maiores elogios. Por ser uma iniciativa ampla e aberta ao diálogo, o que leva ao Presidente a entender que deve mesmo ser considerada e debatida por todos os partidos e pelo Governo.

Porque para Marcelo, há que pensar para lá do imediato. Se pensar em 2021 é falar de Presidenciais, aí volta a dizer que não se pronuncia, mas que acompanha com atenção "aquilo que é dito" e em particular quando é o PSD a dizer que só está à espera do anúncio da recandidatura para no dia a seguir tomar posição, como disse Rio numa entrevista à TSF em que se afastou da ideia de dar liberdade de voto aos sociais-democratas e assumiu que "o mais provável" é Marcelo ter o apoio do PSD.

  • 2:34