Economia

Grupo Inditex com prejuízos de 409 milhões de euros no seu primeiro trimestre

Albert Gea

Depois de ter obtido um lucro de 734 milhões de euros no primeiro trimestre.

O grupo espanhol Inditex, dono da Zara e Massimo Dutti, líder mundial da venda de roupa a retalho, anunciou esta quarta-feira um prejuízo de 409 milhões de euros, no trimestre de fevereiro a abril, e uma queda de 44% das receitas.

Segundo a informação enviada hoje à CNMV (Comissão Nacional do Mercado de Valores) espanhola, a empresa galega revela que a regista um prejuízo num trimestre pela primeira vez da sua história, depois de ter obtido um lucro de 734 milhões de euros no primeiro trimestre fiscal de 2019.

A empresa decidiu fazer provisões de 308 milhões de euros relacionados com a execução do plano para impulsionar a plataforma 'online' e integrar ainda mais esta plataforma nas restantes atividades do grupo.

Tendo em conta a provisão feita, o resultado operacional líquido (EBIT) foi de menos 508 milhões de euros e o resultado líquido de menos 409 milhões de euros.

O grupo informa que, apesar de 88% das suas lojas terem estado encerradas durante um determinado período do trimestre, devido à pandemia de covid-19, a contração das vendas ficou "limitada" a uma descida de 44%, para 3,3 mil milhões de euros, durante esses três meses.

Por outro lado, a empresa teve "um forte crescimento", de 50%, durante o período, nas vendas feitas 'online' (pela internet).

O grupo têxtil vai propor à sua assembleia geral, a realizar em 14 de julho próximo, a distribuição em novembro de um dividendo ordinário de 0,35 euros brutos por ação.

No entanto, segundo informação enviada também hoje à CNMV, a Inditex anunciou que não pagará os dividendos extraordinários que previa distribuir este ano.

A Inditex tem oito marcas comerciais (Zara, Pull and Bear, Massimo Dutti, Bershka, Stradivarius, Oysho, Zara Home, Uterque), trabalha 202 mercados em todo o mundo com mais de 7.000 lojas e emprega mais de 174.000 pessoas.