Economia

Sogrape e Auchan rejeitam acusação da Concorrência de concertação de preços

Autoridade da Concorrência acusa 6 supermercados e 2 fornecedores de concertarem preços de bebidas.

A Sogrape distribuição negou hoje a acusação da Autoridade da Concorrência de concertar preços de venda ao público, e diz que "a nota de ilicitude" da AdC corresponde apenas a uma possibilidade de vir a ser condenada.

"A Sogrape Distribuição esclarece que a nota de ilicitude corresponde, nos termos da Lei, apenas a uma possibilidade razoável de vir a ser proferida uma decisão condenatória pela AdC, e salienta que apenas terá agora a primeira oportunidade de responder às alegações", refere a empresa do Grupo em comunicado.

A Sogrape Distribuição, acrescenta a nota, "rejeita ter participado na contraordenação que a AdC lhe imputa, e confia que terá agora a oportunidade de clarificar a correta análise e interpretação dos factos".

Auchan nega acusação da Concorrência de concertação de preços

O grupo retalhista Auchan negou hoje a acusação da Autoridade da Concorrência (AdC) de concertar preços de venda ao público, prejudicando assim o consumidor.

"Confirmamos que fomos notificados sobre o processo em questão, que está a ser analisado, sendo que iremos naturalmente apresentar a nossa contestação, pois as nossas práticas não configuram os atos imputados", afirma o grupo retalhista numa nota à Lusa.

O grupo acrescenta que, na Auchan "são assegurados internamente todos os processos de controlo" a fim de evitar qualquer tipo de prática semelhante à da concertação de preços.

Supermercados acusados de concertação de preços

A AdC anunciou hoje ter indícios de que Auchan, Modelo Continente e Pingo Doce "utilizaram o relacionamento comercial" com os fornecedores Sumol+Compal e Sogrape "para alinharem os preços" dos principais produtos daquele grupo.

O comunicado refere ainda que "todo o Grupo Sogrape pauta a sua atividade comercial pelo estrito cumprimento da Lei, tendo inclusivamente implementado programas de formação e compliance com vista a assegurar o estrito cumprimento das normas de direito da concorrência".