Economia

Consultoria norte-americana Nielsen vai cortar 3.500 empregos em todo o mundo

(Arquivo)

A empresa vai indemnizar os trabalhadores despedidos, sendo que o fará até ao final do próximo ano.

A consultoria norte-americana Nielsen anunciou hoje que vai suprimir 3.500 empregos em todo o mundo, no âmbito de um plano de reestruturação que eliminará as áreas operacionais menos rentáveis e situadas longe do centro de negócios.

A empresa de estudos de mercado e audiência espera poupar anualmente 250 milhões de dólares (222 milhões de euros) de impostos, ao pôr em prática este plano, cujo custo estima entre 150 milhões a 170 milhões de dólares, refere em comunicado.

A empresa vai indemnizar os trabalhadores despedidos, sendo que o fará até ao final do próximo ano.

O anúncio hoje efetuado faz parte de um plano avançado em abril passado cujo objetivo passa por consolidar as plataformas, automatizar processos e "otimizar a presença internacional" da empresa, que atualmente está numa centena de países.

A Nielson mostrou-se confiante em que o plano de reestruturação permita à empresa "posicionar-se com vista a obter uma maior rentabilidade e crescimento".

No final do ano passado, a Nielson tinha 46.000 funcionários, o que significa que o corte anunciado corresponderá a cerca de 8% da força de trabalho global.

No comunicado, o presidente executivo da Nielson, David Kenny, considerou que "as medidas de reestruturação vão acelerar ainda mais a transformação da empresa, tornando-a numa organização mais eficiente, ágil e escalável, com o objetivo de aumentar as margens e gerar liquidez".