Economia

"Sinto-me motivado e apoiado", afirma Centeno na audição de Governador

"Sinto-me motivado e apoiado", afirma Centeno na audição de Governador

Ana Geraldes

Ana Geraldes

Jornalista

Ex-ministro das Finanças mantém que a "independência" está nas qualificações e não vê conflito de interesses.

Mesmo com a "reprovação" de todos os partidos, à exceção do PS, Mário Centeno mantém que está "motivado" e até se sente "apoiado neste processo".

O processo de nomeação do Governador do Banco de Portugal passa pelo Parlamento, mas a audição não tem parecer vinculativo naquela que será a decisão do Governo. Se está tomada? Os deputados acreditam que sim. E também que a saída de Centeno do Ministério das Finanças teve, naturalmente, a ver com a vontade de suceder a Carlos Costa. Centeno repete que era "o fim de um ciclo" e quanto a conflito de interesses, responde a todos os reparos dos deputados que não há.

Ainda há um mês, Mário Centeno era Ministro das Finanças. Com a discussão do projeto-lei do PAN que poderia impedir a nomeação de Centeno - por determinar um período de nojo nestas situações - suspensa, à espera de parecer, o partido Iniciativa Liberal anunciou que vai avançar com uma providência cautelar para que a nomeação para o cargo de Governador só possa acontecer antes de concluído o processo legislativo.