Economia

Banco de Portugal vai ser gerido "de portas abertas". Foi assim que Centeno aprendeu em Harvard

Banco de Portugal vai ser gerido "de portas abertas". Foi assim que Centeno aprendeu em Harvard

O primeiro discurso de Mário Centeno como governador do Banco de Portugal.

O ex-ministro das Finanças Mário Centeno tomou posse na manhã desta segunda-feira como governador do Banco de Portugal.

No primeiro discurso como governador, na cerimónia que decorreu no Ministério das Finanças, Centeno afirmou que pretende gerir a instituição "de portas abertas", tal como aprendeu em Harvard, para ajudar o país a vencer os desafios que tem pela frente.

"É assim que sou, desde hoje, com muita honra, o governador de um Banco de Portugal, verdadeiramente ao serviço de Portugal" disse Centeno.

O PERCURSO DE MÁRIO CENTENO

Mário Centeno nasceu no Algarve em 1966 e licenciou-se em Economia no ISEG, em Lisboa, onde chegou a professor catedrático.

Depois de regressar de Harvard com um doutoramento, em 2000, ingressou no BdP, instituição na qual foi economista, diretor-adjunto do Departamento de Estudos Económicos e consultor da administração.

Entre novembro de 2015 e junho de 2020 foi ministro das Finanças dos dois governos PS liderados por António Costa.

Foi eleito presidente do Eurogrupo - o grupo de ministros das Finanças da Zona Euro - e levou as contas públicas portuguesas ao primeiro saldo positivo em democracia, mais concretamente desde o ano de 1973.

Contudo, o seu percurso também foi feito de polémicas (em 2017, o caso das trocas de SMS com o gestor António Domingues, da Caixa Geral de Depósitos, o que originou uma comissão parlamentar de inquérito, e mais recentemente com o primeiro-ministro sobre a injeção de capital no Novo Banco) e a sua saída foi criticada por quadrantes políticos que o acusaram de abandonar o barco no meio da tempestade provocada pela Covid-19.