Economia

Ministro da Economia admite aumento das insolvências e o crescimento do desemprego

Pedro Siza Vieira diz ser "expectável" o aumento das falências e do desemprego nos próximos trimestres.

O ministro da Economia admitiu esta sexta-feira "que é possível que algumas empresas não consigam aguentar" e com isso "haja um crescimento de insolvências e um crescimento de desemprego".

"É lamentável, mas é expectável face à dimensão da quebra que tivemos no trimestre anteiror."

Siza Vieira diz ser necessário "criar as condições para que a partir daqui, em cada trimestre, tenhamos uma recuperação da atividade económica".

Portugal regista queda histórica do PIB

O PIB em Portugal recuou 16,5% em termos homólogos no segundo trimestre de 2020, na maior descida de sempre registada no país.

Estes três meses dizem respeito ao período que compreende o estado de emergência e as medidas de confinamento tomadas devido à pandemia do novo coronavírus. O INE decidiu antecipar a divulgação dos dados do PIB para dar mais informação sobre a crise que se vive.

"Este resultado é explicado em larga medida pelo contributo negativo da procura interna para a variação homóloga do PIB, que foi consideravelmente mais negativo que o observado no trimestre anterior, refletindo a expressiva contração do consumo privado e do Investimento", de acordo com o INE.

No trimestre em que se registou a maior queda de sempre do PIB português em termos homólogos face ao ano anterior, a queda em cadeia - relativamente ao primeiro trimestre do ano - foi de 14,1%, adiantou também o INE.

No primeiro trimestre do ano, o PIB nacional recuou 2,3%, depois de um aumento de 2,2% nos três meses anteriores.

GOVERNO FALA EM LIGEIRA RECUPERAÇÃO DA ECONOMIA PORTUGUESA EM JUNHO

O ministro da Economia sublinhou esta sexta-feira que os dados do PIB mostram que depois dos meses de março e abril, em junho já houve uma ligeira recuperação da economia.

No entanto, Pedro Siza Vieira admite que o desemprego em Portugal e o número de insolvências venham a aumentar por causa dos efeitos da pandemia do novo coronavírus.