Economia

Pandemia provoca quebras nas contas do principais bancos nacionais

Depois do BCP, Santander e BPI, foi a vez do Novo Banco e da Caixa Geral de Depósitos apresentarem os resultados do primeiro semestre, afetados pela pandemia.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) e o Novo Banco apresentaram hoje as contas relativas ao primeiro semestre. O banco público viu os lucros caírem 40%, face aos números do ano anterior, para os 249 milhões de euros.

No mesmo período do ano passado, a CGD tinha registado lucros de 417 milhões de euros, pelo que se verificou uma diminuição de 168 milhões de euros nos lucros entre os dois semestres.

Em comunicado divulgado hoje, o banco refere "um resultado extraordinário de 51 milhões de euros (depois de impostos) decorrentes de ganhos atuariais nas responsabilidades com benefícios pós emprego".

Já o Novo Banco agravou os prejuízos em 38,8%, num valor de 555,3 milhões de euros e já avisou que vai precisar de mais 176 milhões de euros do Fundo de Resolução.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o banco liderado por António Ramalho assinalou que os prejuízos se justificam "em 91% pelas perdas de -260,6 milhões de euros resultado da avaliação independente aos fundos de reestruturação" e "138,3 milhões de euros de imparidade adicional para riscos de crédito decorrentes da pandemia Covid-19".

Veja também: