Economia

Défice das contas públicas agrava-se 6.552 milhões de euros devido à pandemia

Kim Kyung Hoon

Avançou esta sexta-feira o Ministério das Finanças.

O défice das contas públicas agravou-se em 6.552 milhões de euros até agosto, totalizando 6.147 milhões de euros, indicou esta sexta-feira o Ministério das Finanças, valor inferior ao registado em julho.

"A execução orçamental em contabilidade pública das Administrações Públicas (AP) registou até agosto um défice de 6 147 MEuro [milhões de euros], um agravamento em resultado da pandemia de 6 552 MEuro face ao período homólogo pelo efeito conjunto de contração da receita (-6,6%) e de crescimento da despesa (4,9%)", indica o Ministério das Finanças no comunicado que antecede a divulgação da Síntese de Execução Orçamental pela Direção-Geral do Orçamento (DGO).

De acordo com o ministério tutelado por João Leão, a execução destes primeiros oito meses de 2020 "evidencia os efeitos da pandemia da covid-19 na economia e nos serviços públicos, refletindo igualmente o impacto da adoção de medidas de política de mitigação".

A execução orçamental até julho indicava um agravamento do défice das em 7.853 milhões de euros, chegando aos 8.332 milhões de euros (ME).

Portugal regista mais 5 mortes e 899 casos de covid-19

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta sexta-feira a existência de um total de 1.936 mortes e 72.055 casos de covid-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1.931 para 1.936 , mais 5 do que na quinta-feira. O número de infetados aumentou de 71.156 para 72.055, mais 899.

Nas últimas 24 horas registaram-se mais 36 internamentos, aumentando para 624 o número de pessoas com covid-19 internadas nos hospitais, enquanto foi registado um aumento de um utente nos cuidados intensivos, num total de 86.

De ontem para hoje recuperaram 327 doentes, pelo que 47.003 pessoas já superaram a infeção desde o início da pandemia em Portugal.