Economia

Parlamento aprova "período de nojo" de 3 anos entre a banca comercial e o Banco de Portugal

As propostas para que esta limitação também fosse para cargos políticos foram chumbadas.

O Parlamento aprovou uma nova limitação para quem é nomeado para o Banco de Portugal.

Vai passar a haver um período de nojo de três anos entre a banca comercial e a administração do supervisor. As propostas para que esta limitação também fosse para cargos políticos foram chumbadas.

As nomeações para o Banco de Portugal ficam assim sujeitas a novas regras, mas os políticos continuam a poder passar para o supervisor sem que haja um período de tempo entre as duas funções.