Economia

Fim do veto ao fundo de recuperação está dependente de uma declaração política

Correspondente SIC

Hungria e Polónia são contra a criação de um mecanismo sobre o Estado de Direito associado ao orçamento comunitário.

Polónia e Hungria estão dispostas a recuar no veto à bazuca europeia. Em troca, querem que todos os Estados-membros assinem uma declaração política que pode levar a atrasos na aplicação do polémico mecanismo sobre o respeito pelo Estado de Direito.

O compromisso foi cozinhado pela presidência alemã da União Europeia e pela chanceler Angela Merkel. Os restantes países estão a analisar as condições da Polónia e da Hungria e a decisão deverá ser tomada na cimeira de líderes que arranca esta quinta-feira.

Charles Michel, presidente do Conselho Europeu, já se mostrou confiante num entendimento que levante o veto húngaro e polaco e que desbloqueie o orçamento comunitário e o fundo de recuperação.

A SIC teve acesso à declaração política onde se reafirma a criação de um mecanismo sobre o Estado de Direito, mas abre a porta para que a Hungria e a Polónia atrasem a nova condicionalidade e a eventual aplicação de sanções, caso recorram para o Tribunal da Justiça da União Europeia.