Economia

Expectativa do FMI aponta para crescimento de 4,2% na Europa

No entanto, alerta que a recuperação é incerta e pode ser desigual.

A diretora-geral do FMI teme que 2021 se transforme num ano de grandes divergências. O alerta foi deixado durante uma videoconferência que reuniu os parlamentos nacionais dos 27 Estados-membros.

Kristalina Georgieva aponta para o maior impacto da pandemia nas economias dependentes do turismo. A expectativa do FMI é que o bloco Europeu cresça 4,2% este ano, mas a recuperação é incerta e pode ser desigual.

Em plena presidência portuguesa, coube à Assembleia da República organizar com o Parlamento Europeu o evento que juntou por videoconferência deputados dos 27 Estados-membros.

Este foi o sítio ideal para Ursula Von der Leyen deixar mais um recado: até agora só sete parlamentos nacionais – incluindo o português – ratificaram a decisão que permite à Comissão Europeia ir aos mercados buscar dinheiro do Fundo de Recuperação. É preciso que os restantes façam o mesmo para que o dinheiro chegue aos cofres nacionais até às férias do verão.