Economia

10 anos desde a Troika

Ricardo Piano

Ricardo Piano

Editor de Imagem

Há precisamente 10 anos o país pedia ajuda financeira internacional.

Em 2010, José Sócrates já tinha cortado os salários da função pública e aumentado o iva de 21% para 23%, mas as primeiras medidas de austeridade do Governo de então não foram suficientes.

Com o país mergulhado numa crise, política e económica, e com os bancos e os mercados financeiros a fazerem pressão, a 6 de abril de 2011, o então primeiro-ministro pediu ajuda externa. Há precisamente 10 anos chegou a Troika.

Embora tenha sido José Sócrates a pedir ajuda, foi Pedro Passos Coelho quem pôs o plano de recuperação em marcha. Seguiram-se anos de mais austeridade, com novos cortes, desta vez nos subsídios de natal e férias e nas pensões, bem como um enorme aumento de impostos, assumido pelo então ministro das Finanças.

Até que, em maio de 2014, o então primeiro-ministro anunciou que o país tinha recuperado credibilidade. Portugal entrava numa nova fase, já sem uma rede de segurança, mas sob o olhar atento dos credores internacionais.

O país estava a recuperar, mas a pandemia veio novamente inverter o sentido e baralhar as contas. O défice orçamental aumentou. A dúvida pública, que em 2019 tinha atingido o valor mais baixo desde o resgate financeiro, voltou a disparar. No final de 2020 atingiu um recorde absoluto de 133,6% do PIB.