Economia

Banco de Portugal vai ter acesso a dados de quem aluga cofres em bancos 

Objetivo é combater o branqueamento.  

O Banco de Portugal vai passar a ter acesso à identidade de pessoas ou empresas que aluguem cofres em bancos para guardar objetos valiosos, dinheiro ou documentos.

O conteúdo permanece confidencial, mas a informação sobre os locatários deverá ser enviada de forma periódica ao supervisor bancário.

A medida serve sobretudo para combater o branqueamento, disponibilizar informação mais detalhada ao supervisor bancário e, em caso de suspeita, dar acesso direto e sem restrições às autoridades judiciais.

Há um mês, foi assinado um protocolo entre o Banco de Portugal, a Unidade de Informação Financeira e o Ministério Público, de forma a que a investigação aos crimes financeiros possa ser auxiliada pela consulta direta às bases de dados do banco central.