Economia

Ministro das Infraestruturas inaugura obras de requalificação do troço ferroviário Covilhã-Guarda 

Filipe Barbosa

Filipe Barbosa

Repórter de Imagem

Pedro Nuno Santos destacou a reabertura do troço Covilhã-Guarda, na linha da Beira Baixa, como um importante exemplo da nova aposta nacional na ferrovia. 

A viagem inaugural pelo troço requalificado serviu sobretudo para o Governo reafirmar a importância do investimento como motor de desenvolvimento do interior do país.

O ministro Pedro Nuno Santos garantiu que a aposta nos caminhos de ferro vai continuar e, no caso da região das beiras, vai passar pela remodelação da Linha da Beira Alta, pela construção do porto seco na Guarda e pela requalificação do terminal de mercadorias no Fundão.

Depois de 12 anos encerrada, a circulação foi retomada no domingo e o Governo inaugurou esta terça-feira as obras de modernização que permitiram reabrir o troço Covilhã-Guarda.

Todo o percurso de 46 quilómetros foi eletrificado, as pontes e apeadeiros foram requalificados e as 18 passagens de nível foram automatizadas.

A viagem que antes demorava 1h10 passa agora a fazer-se em 40 minutos. A retoma da ligação conta com mais comboios a circular, mas o presidente da Câmara da Covilhã pede um serviço mais adequado às necessidades das populações. Vítor Pereira refere-se a um ajuste dos horários e dos preços para "evitar que dentro de poucos anos o serviço seja extinto por alegada falta de procura".