Economia

Tributar multinacionais com IRC mínimo de 15% pode significar mais 100 ME por ano para Portugal

A conta é feita pelo Observatório Fiscal da União Europeia.

O G7 alcançou um acordo histórico para taxar as multinacionais. O grupo das sete maiores economias aprovou o plano da administração Biden para um imposto mínimo de 15% sobre as 100 maiores e mais lucrativas empresas do mundo.

O objetivo é garantir que as empresas pagam IRC nos países onde fazem negócios, evitando o registo dos lucros em paraísos fiscais para fugir aos impostos.

O assunto era discutido há vários anos. Enquanto isso, sucediam-se casos, como o que foi noticiado esta semana dando conta de que no ano passado a subsidiária irlandesa da Microsoft pagou zero de IRC sobre lucros de 315 mil milhões por ter sede fiscal nas bermudas.

O acordo pode representar milhões para os cofres dos Governos, dinheiro fundamental para pagar dívidas contraídas devido à pandemia de covid-19.

Segundo as conta do Observatório Fiscal da União Europeia, tributar as multinacionais com um imposto mínimo de 15%, pode significar mais 100 milhões de euros por ano para Portugal.