Economia

As dívidas de Joe Berardo: CGD, Novo Banco e BCP exigem quase mil milhões de euros

NUNO VEIGA

O motivo que levou à detenção desta terça-feira são os 439 millhões em dívida à Caixa Geral de Depósitos, mas o bolo completa-se com mais cerca de 330 milhões ao Novo Banco e ainda cerca de 230 milhões ao BCP.

Joe Berardo foi detido esta terça-feira por suspeitas de burla, fraude fiscal e branqueamento de capitais. Em causa está uma investigação já com cinco anos, relacionada com financiamentos da Caixa Geral de Depósitos.

Apesar de no centro da investigação estarem dívidas de 439 milhões de euros à Caixa Geral de Depósitos, o montante total dos empréstimos contraídos por Berardo, e que ainda estão por pagar, é bem maior. O bolo da dívida completa-se com mais cerca de 330 milhões ao Novo Banco e mais cerca de 230 milhões ao BCP. No total, Joe Berardo deve cerca de mil milhões de euros à banca.

CGD, BCP e Novo Banco avançaram para Tribunal para exigirem o pagamento 962 milhões. Uma ação que tem sido contestada por Berardo, e já levou à penhora de bens e de parte da pensão do empresário.

O advogado de Joe Berardo, André Luiz Gomes, também foi detido esta terça-feira no âmbito de uma operação do DCIAP e da Polícia Judiciária (PJ) aos créditos ruinosos da CGD. Em comunicado, a PJ adianta que decorrem cerca de 50 buscas em vários pontos do país, nomeadamente Lisboa, Funchal e Sesimbra. Na operação participam 180 elementos da PJ, Autoridade Tributária, Ministério Público e juízes de instrução criminal.

Em causa estão quatro operações de financiamento com a CGD entre 2006 e 2009 no valor de 439 milhões de euros. O grupo económico de Joe Berardo tem incumprido os contratos e recorrido a mecanismos de renegociação e restruturação de dívida para não amortizar.

Os dois detidos deverão ser ouvidos esta quarta-feira pelo juiz Carlos Alexandre para primeiro interrogatório judicial. Joe Berardo irá passar a noite no Estabelecimento Prisional de Lisboa.

Veja também: