Economia

Previsões económicas de verão. Zona euro acelera em 2021, Portugal mantém ritmo 

Yves Herman

Susana Frexes

Susana Frexes

Correspondente SIC em Bruxelas

Portugal cresce 3,9% em 2021, abaixo dos 4,8 da zona euro.

A Comissão Europeia revê em alta o crescimento na Zona Euro, mas Portugal não acompanha a evolução do conjunto da moeda única.

Da primavera para o verão, os técnicos de Bruxelas mantêm a previsão de crescimento português nos 3,9% em 2021, abaixo dos 4,8% da média europeia que subiu cinco décimas. A explicação para um ritmo de recuperação portuguesa mais lento está nas medidas restritivas impostas em junho após o aumento do número de casos de covid-19.

Ainda assim, a expectativa é que a economia acelere no terceiro trimestre graças ao turismo externo e à aceleração da vacinação.

Também a previsão para o próximo ano não mexe. Mantém-se nos 5,1% e, neste caso, Portugal continua acima da média da zona euro.

O executivo comunitário estima, no entanto, que, depois de um recuo de 3,2% no primeiro trimestre do ano devido a um confinamento rigoroso, o Produto Interno Bruto (PIB) português terá crescido 3,3% no segundo trimestre e registará um novo aumento no terceiro trimestre, com o esperado aumento do turismo estrangeiro no país, ajudado pela campanha de vacinação na Europa e pelo lançamento do certificado digital covid-19 da UE.


Estas previsões ficam aquém das projeções do Governo, que confia num crescimento acima da sua própria previsão de 4% inscrita no Programa de Estabilidade, bem como da mais recente previsão do Banco de Portugal, que em 16 de junho reviu em alta as suas projeções, antecipando uma subida do PIB de 4,8% em 2021 e de 5,6% em 2022.

O Comissário da Economia, Paolo Gentiloni, diz que a previsão da Comissão é mais realista do que a do Banco de Portugal, por ter em conta as situação do país durante o último mês.