Economia

ENSE atribui subida dos combustíveis à margem dos comercializadores  

Preço médio de venda ao público em máximo de dois anos. 

A Entidade Nacional para o Setor Energético considera que a subida do preço dos combustíveis se explica com o aumento do preço do petróleo e das margens dos comercializadores, minimizando assim o peso da fiscalidade.

Com o preço médio de venda ao público em máximo de dois anos, o estudo realizado sobre o sector, entre 2019 e 2021, conclui que a margem média dos comercializadores está a ser superior à média registada antes da pandemia.

Nos meses mais críticos da pandemia, os preços médios de venda ao público desceram, mas a um ritmo inferior à descida dos preços de referência, o que significa que as margens dos comercializadores atingiram os máximos em 2020.