Economia

Concertação social discute a Agenda do Trabalho Digno e os acordos de mobilidade

Sindicatos querem aumento do ordenado mínimo, patrões não concordam.

Enquanto o Governo apresentava o Orçamento do Estado para 2022 aos partidos no Parlamento, dois ministros reuniam-se com os parceiros sociais, mas para discutir outras matérias.

Patrões e Governo reúnem-se em concertação social quando já se sabe que o Orçamento do Estado não trará o tão desejado alívio fiscal para as empresas - IRC e IVA não devem baixar e apoios só com incentivos ao investimento.

O tema não terá sido discutido nesta reunião, uma vez que o Governo só agora discute o orçamento com os partidos. e só depois irá apresentá-lo à concertação social.

Em cima da mesa esteve a discussão da Agenda do Trabalho Digno apresentada em julho e que o Governo espera que desta vez reúna consenso entre os parceiros sociais.

Apesar de não constar do orçamento, os sindicatos já fizeram saber que querem um aumento do salário mínimo superior ao que está previsto.

O Governo comprometeu-se a chegar aos 705 euros em 2022 e 750 emeuros 2023.

A UGT quer 715 euros já próximo ano, a CGTP vai mais longe e pede 850 euros.

Os patrões não estão de acordo com nenhum destes valores. Para a CIP, o Governo devia repensar os aumentos do salário mínimo.

ESPECIAL ORÇAMENTO DO ESTADO 2022