Economia

Energia. A costa dos Estados Unidos vai ficar cheia de parques eólicos

O presidente Joe Biden quer espalhar por toda o litoral do país estruturas produtoras de energia elétrica, concessionando zonas marítimas até 2025, noticia o "New York Times".

Os Estados Unidos vão apostar forte na produção de energias renováveis, de acordo com o plano apresentado pelo secretário da Interior norte-americano, Deb Haaland, na quarta-feira, numa conferência que teve lugar em Boston. O governo liderado por Joe Biden quer concessionar zonas marítimas a promotoras de parques eólicos tanto na costa este como leste do país, num processo que deverá terminar em 2025, noticia o "The New York Times".

Este projeto ocorre numa altura em que os Estados Unidos pretendem diminuir para metade as emissões de combustíveis fósseis até 2030. O jornal salienta, contudo, que ainda não há garantias da construção desses parques eólicos no mar, estando as zonas marítimas ainda sujeitas a análises ambientais, militares e arqueológicas, além de não poderem afetar atividades turísticas em regiões que dependem dessa atividade.

Mesmo assim, os primeiros passos rumo ao grande objetivo desta administração - construir parques eólicos com capacidade total de 30 mil megawatts até 2030 - já foram dados com a aprovação pelo governo dos Estados Unidos de um parque eólico na costa este, ao largo do estado do Massachusetts, estando a ser analisadas mais doze no Oceano Atlântico, além de duas áreas na Califórnia, na costa do Pacífico, acrescenta o "The New York Times".

Em Portugal, país com zona marítima extensa, condições climáticas e com orografia aproveitável para energia eólica, está a apostar fortemente em energias renováveis. Algo incorporado nas políticas públicas a diversos níveis, com o próximo Orçamento do Estado a prever vantagens fiscais para autoconsumo. Entretanto, estão a aparecer novos projetos eólicos de grande envergadura como o parque eólico para as margens do rio Tâmega da Iberdrola, o maior complexo hidroelétrico a ser construído no País, ou o parque híbrido a ser construído ao largo da Póvoa de Varzim.

Nos primeiros nove meses do ano, 61% da energia elétrica consumida foi gerada por fontes renováveis.