Economia

Energia. Rússia diz que pode vender mais gás à Europa, mas nos seus próprios termos

Moscovo sinalizou que estava disponível para vender mais gás natural ao Velho Continente, mas que prefere contratos de longo-prazo em vez de compras no mercado diário. O tema "Nord Stream 2" será outra razão não assumida por Putin para se manter quieto.

A Gazprom está a cumprir todas as suas obrigações contratuais junto da Europa na venda de gás natural, excedendo-as inclusive, disse Vladimir Putin, numa conferência de imprensa na quarta-feira, uma semana depois de ter sinalizado que estaria disponível para aumentar o fornecimento de gás ao Velho Continente.

O presidente russo, citado pelo "Financial Times", recusou que a inação de Moscovo em tomar medidas adicionais tivesse a ver com uma eventual pressão para aprovar o "Nord Stream 2", um projeto de gasoduto que contornaria a Ucrânia para chegar à Europa, junto dos reguladores alemães. "Tagarelice política", disse.

Putin está disponível para discutir "medidas adicionais" com a União Europeia, segundo o jornal, mas quer que os contratos sejam feitos com prazos superiores a duas décadas, em vez da compra de gás no mercado diário dos 27. Já uma aprovação da Nord Stream 2 ajudaria a "aliviar as tensões" do mercado energético "de forma significativa", graças ao aumento da capacidade, disse Putin, citado pelo jornal britânico.

Os países da Europa encontram-se a lidar com uma crise energética que está a comprometer a recuperação económica do pós-pandemia, com empresas e famílias a queixarem-se dos altos custos da eletricidade. A Comissão Europeia apresentou na quarta-feira medidas para diminuir o impacto dos preços da energia às portas de um Inverno que será, mesmo assim, mais oneroso.

A escassez de produção e de reservas de gás durante os piores meses da pandemia da Covid-19, e a súbita recuperação do consumo com o alívio das restrições nas economias desenvolvidas, fez com que esta matéria-prima, necessária para a produção de eletricidade, visse o seu preço disparar nos últimos meses.