Economia

Eletricidade "vai subir ligeiramente" pois "medida apenas impede que suba bastante"

Opinião

José Gomes Ferreira esteve no Jornal da Noite e comentou a subida do preço da eletricidade e o seu impacto na sociedade.

José Gomes Ferreira considera o aumento do preço da eletricidade algo negativo, mas considera positiva a medida do Governo para evitar uma subida galopante, referindo que Portugal é dos países da União Europeia com maiores preços pagos a empresas do setor.

Em relação ao preço da eletricidade, José Gomes Ferreira refere que o mesmo vai aumentar.

"Vai subir ligeiramente em relação à média deste ano. Esta medida apenas impede que suba bastante no mercado regulado", diz o comentador.

José Gomes Ferreira coloca o mercado da eletricidade no mesmo patamar que o mercado dos combustíveis, pois, na sua opinião, também "é estruturado de forma a remunerar ao máximo quem investe no mínimo de tempo possível".

O comentador deixa ainda um elogio ao aparecimento da medida do Governo ao tabelar e baixar em relação à entrada na rede, referindo que "a estrutura de margem bruta dessas empresas é muito grande", mas sem deixar um reparo.

"Podia ter sido feito antes, não foi, agora ainda bem que foi feito", relembra José Gomes Ferreira.

De acordo com o comentador da SIC, esta medida "beneficia o serviço universal" e "quem está no mercado livre vai ter que pagar mais".

No entanto, o cenário não é completamente positivo na sua opinião.

"O que vai acontecer é aquilo que os economistas chamam de 'one shot': faz-se uma vez, as medidas são para aplicar apenas uma vez, mas depois de terminado o seu efeito, no final do ano que vem ou em meados do ano que vem, voltamos ao mesmo, porque isto não resolve o problema."

Esta situação, refere José Gomes Ferreira, tem "a agravante de Portugal ter os preços pagos a estas empresas muito acima da média europeia, quase sempre nos primeiros lugares".

Veja também:

  • Esqueçam o atrás...

    Tenham noção

    O recado de Rodrigo Guedes de Carvalho sobre redundâncias. Tenham noção que dizer ou escrever "há cinco anos atrás", "subir para cima" ou "descer para baixo" é desnecessário.

    SIC Notícias