Economia

Índia quer banir (quase) todas as criptomoedas, mas lança criptomoeda do banco central em dezembro

Apenas algumas serão permitidas, de acordo com o projeto do governo de Nova Deli, para o desenvolvimento da tecnologia blockchain, segundo a "Reuters".

A Índia é o mais recente país a querer proibir todas as criptomoedas - excepto aquelas que sirvam para o desenvolvimento da tecnologia blockchain, o registo distribuído de dados subjacente aos criptoativos, noticia a "Reuters".

O anúncio foi feito esta terça-feira pelo governo de Nova Deli, que, deste modo, pretende seguir as pisadas de países como a China, que proibiram toda a negociação e mineração de criptomoedas no seu território, permitindo apenas o desenvolvimento de uma moeda digital ao seu banco central.

O objetivo é banir todas as moedas virtuais privadas, segundo a agência, possíveis veículos de lavagem de dinheiro e de financiamento do terrorismo para o governo liderado por Narendra Modi. O projeto legislativo foi apresentado no fim do dia de terça-feira, inserido no programa legislativo da sessão parlamentar de inverno. Ao mesmo tempo, o banco central da Índia encontra-se a desenvolver uma moeda digital de banco central (CBCD, do termo em inglês central bank digital currency) que será lançada em dezembro.

De acordo com dados da "Reuters", a Índia terá entre 15 milhões e 20 milhões de investidores em criptomoedas, com carteiras que rondarão os 400 mil milhões de rupias (cerca de 4,77 mil milhões de euros).