Economia

Governo diz ser necessário evitar erros da resposta europeia às crises de 2008 e 2010

Governo diz ser necessário evitar erros da resposta europeia às crises de 2008 e 2010
Alexander Spatari/GettyImages
Portugal quer sejam aproveitados os instrumentos de resposta à pandemia.

O Governo defendeu ser necessário evitar os erros da resposta europeia à crises de 2008 e 2010, no âmbito da reforma da governação económica, pedindo a Bruxelas o aproveitamento dos mecanismos criados no âmbito da pandemia de covid-19.

"É essencial não repetir os erros da resposta europeia à crise financeira de 2008 e à crise das dívidas soberanas de 2010, o que apenas conduziu a uma maior fragmentação no seio da UE [Notes:União Europeia] ", lê-se no documento "As Prioridades de Portugal para o Programa de Trabalho da Comissão 2023".

Portugal quer sejam aproveitados os instrumentos de resposta à pandemia de covid-19, que sublinhou terem permitido manter postos de trabalho e apoiar o relançamento da economia europeia.

Neste sentido, a União Europeia (UE) deve ter um "verdadeiro instrumento europeu de estabilização" para responder às crises.

Conforme sublinhou, a crise decorrente da guerra na Ucrânia confirma a necessidade da criação deste mecanismo.

Este instrumento poderá inspirar-se, por exemplo, no SURE, que provou ter sido um elemento central na resposta à crise pandémica, mitigando o seu impacto económico e social-

O SURE é um instrumento de apoio temporário para proteger postos de trabalho afetados pela pandemia, através de empréstimos da UE aos Estados-membros, num máximo total de 100.000 milhões de euros.

Por outro lado, o Governo sublinhou que a prosperidade depende da capacidade de investimento no futuro, "pelo que urge desbloquear o potencial de investimento da União".

Neste âmbito, Portugal sugere a criação de um instrumento orçamental comum, assente em reformas, uma ideia que disse ter sido seguida, no geral, no 'Next Generation EU', pacote de recuperação económica europeia.

Últimas Notícias
Mais Vistos